Inflação espanhola sai de terreno negativo

  • Juliana Nogueira Santos
  • 29 Setembro 2016

Os preços subiram 0,3% em setembro, estabelecendo-se como a primeira subida de preços em 14 meses. O valor ainda não é suficiente para cumprir a meta de Bruxelas.

Setembro foi o mês de mudança na inflação espanhola. Os preços registaram uma subida de 0,3%, comparando com o mesmo mês do ano anterior, estabelecendo-se como o primeiro aumento de preços desde julho de 2015.

Os dados do Índice de Preço no Consumidor – IPC – divulgados hoje pelo Instituto Espanhol de Estatística mostram também que, em termos mensais, os preços subiram 0,1% em relação ao mês anterior.

A taxa tem-se mantido negativa decorridos 14 meses, excetuando no mês de dezembro, tendo atingido o seu mínimo em abril desde ano, quando marcou -1,1%. Contudo, esta viragem já era esperada, visto que em agosto a baixa de preços tinha sido de apenas 0,1%.

Ao considerar o IHPC – ou seja, o índice harmonizado com o resto da União Europeia – o aumento de preço foi de apenas 0,1%, ficando ainda assim no patamar positivo.

Embora não se saiba ainda quais foram os produtos que sofreram alterações de preços, o organismo oficial de estatística espanhol afirma que estas foram causadas pela subida dos preços dos combustíveis e da eletricidade, valores que caíram exponencialmente em 2015.

Espanha está ainda longe de atingir a meta de inflação estabelecida por Bruxelas de dois pontos percentuais.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Inflação espanhola sai de terreno negativo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião