Investir até 100 mil euros em startups dá desconto no IRS

  • Marta Santos Silva
  • 14 Outubro 2016

A iniciativa de incentivo ao empreendedorismo Programa Semente dá descontos de até 40% no IRS a quem investir em pequenas e micro empresas.

Investir a partir de 10 mil euros e até 100 mil euros numa pequena ou micro empresa dá descontos no IRS. A nova iniciativa de incentivo ao empreendedorismo Programa Semente dirige-se a pessoas singulares que invistam em startups que tenham menos de cinco anos de vida e que sejam certificadas pela Rede Nacional de Incubadoras.

Até 25% do investimento realizado pode ser deduzido no IRS, até um máximo de 40% da coleta total desse imposto. Mas, se se investir para além desse limite, o excedente ainda pode ser descontado nos dois anos seguintes. O montante anual dos investimentos elegíveis não pode ultrapassar os 100 mil euros.

Para ser elegível para o Programa Semente, o investimento tem de cumprir alguns requisitos. Além de ter de ser num valor mínimo de 10 mil euros pela empresa em que se investe, há limitações à participação social do subscritor ao longo dos anos seguintes, não podendo ultrapassar 30% do capital nem dos direitos de voto da sociedade nos três anos subsequentes. A participação social deve ser mantida durante pelo menos quatro anos.

Já as empresas, para serem elegíveis para investimentos visados pelo Programa Semente, têm de ter menos de 20 trabalhadores, menos de cinco anos desde que foram constituídas formalmente, e menos de 200 mil euros em bens e direitos sobre bens imóveis. Também não podem estar cotadas no mercado, e têm de ter a sua situação fiscal e contributiva regularizada. Têm também de procurar certificar-se junto da Rede Nacional de Incubadoras.

Texto editado por Mariana de Araújo Barbosa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Investir até 100 mil euros em startups dá desconto no IRS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião