Investidores otimistas depois do acordo da OPEP

  • Ana Luísa Alves
  • 19 Dezembro 2016

Quase três semanas depois do acordo que ditou um corte na produção de ouro negro, os investidores estão otimistas quanto à valorização do preço do petróleo.

Há cada vez mais apostas na subida do petróleo. É preciso recuar ao verão de 2014 para encontrar tanto otimismo na valorização da matéria-prima quanto o verificado atualmente, depois de a OPEP e os produtores fora da organização terem chegado a acordo para cortar a produção.

Os dados compilados pela US Commodity Futures Trading Comission, citados pela Bloomberg, mostram que as apostas dos fundos de cobertura na subida do petróleo aumentaram em 2,5%. Isto ao mesmo tempo que as apostas na queda da matéria-prima afundaram em 30%, para mínimos de maio.

“Tem havido um esforço da OPEP e dos países fora da organização para cumprirem o acordo”, disse John Kilduff, da Again Capital LLC, um fundo de investimento norte-americano focado na energia. “Está-lhes a ser dado o benefício da dúvida. O consenso é que a oferta vai diminuir rápido e como consequência os investidores estão a preparar-se para preços mais altos a curto prazo”, acrescentou à Bloomberg.

O acordo foi estabelecido no dia 30 de novembro, em Viena, e visou a redução da produção do ouro negro para equilibrar os preços da matéria-prima, após várias semanas de negociações. O cartel reduziu a produção em 1,2 milhões de barris por dia para 32,5 milhões por dia. É o primeiro corte na produção em oito anos.

O crude está a negociar nos 55,43 dólares o barril, registando uma valorização de 0,40%, e o Brent, negociado em Londres, está nos 55,47 dólares o barril, registando uma valorização 0,45%. A cotação da matéria-prima está a negociar próximo de máximos de 17 meses.

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Investidores otimistas depois do acordo da OPEP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião