Lista VIP: inquérito foi arquivado e serão retomados os processos disciplinares

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 7 Março 2017

BE quis saber se os responsáveis pela área de informática na altura em que rebentou o escândalo da lista VIP continuavam a ocupar os mesmos cargos na altura das transferências para offshores.

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) foi notificada no mês passado de que o inquérito em torno da “lista VIP” foi arquivado pelo Ministério Público. Serão agora retomados os processos disciplinares, afirmou esta terça-feira a Diretora-Geral da AT no Parlamento.

A questão foi levantada pelo Bloco de Esquerda, que quis saber se os responsáveis pela área de informática na altura em que rebentou o escândalo da lista VIP continuavam a ocupar os mesmos cargos quando foram feitas várias transferências para offshores sem controlo do fisco. Também o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos já ligou o caso da “lista VIP” a estas transferências.

 

Sobre a “lista VIP”, Helena Borges recordou um relatório da Inspeção-Geral das Finanças, “identificando pessoas” e sugerindo que “se ponderassem” processos disciplinares — foram então instaurados quatro.

Porém, o processo disciplinar acabou por ficar suspenso, a aguardar as conclusões do processo de inquérito, acrescentou a líder da AT. No mês passado, a Autoridade Tributária foi notificada de que o Ministério Público tinha arquivado o inquérito da lista VIP. “Vamos retomar a instrução dos processos disciplinares”, referiu depois.

Helena Borges salientou que não seria “oportuno tomar decisões precipitadas” antes de concluídos estes processos e afirmou que estas pessoas foram mantidas, quando questionada por Mariana Mortágua sobre este assunto.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lista VIP: inquérito foi arquivado e serão retomados os processos disciplinares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião