Queda do petróleo penaliza Wall Street

O "ouro negro" foi tudo menos dourado para a bolsa norte-americana. A desvalorização do petróleo a nível internacional penalizou as energéticas, pesando no desempenho de Wall Street.

Só o Nasdaq escapou às desvalorizações nesta sessão, numa semana que tem sido negra para a bolsa norte-americana. Os investidores estão à espera que os dados sobre a evolução do emprego nos EUA, a serem divulgados esta sexta-feira, forneçam novas pistas sobre uma eventual subida das taxas de juro da Reserva Federal norte-americana na próxima semana. Mas hoje o problema residiu na queda do valor do petróleo, o que se refletiu numa desvalorização das energéticas.

O preço do “ouro negro” está a atingir mínimos de mais de um ano depois de ter sido revelado que as reservas norte-americanas aumentaram. Tanto o Brent — barril de referência para Portugal — como o transacionado em Nova Iorque sofreram uma queda superior a 5%. Em causa está o facto de os inventários de petróleo nos Estados Unidos terem subido 8,21 milhões de barris para os 528,4 milhões de barris por dia, totalizando um valor semanal que, segundo dados da Bloomberg, já não se registava desde 1982.

O efeito foi direto nas energéticas presentes em Wall Street que desvalorizaram mais de 2%, segundo a Bloomberg. A Exxon Mobil caiu 1,76% para os 81,07 dólares por ação enquanto a Chevron sofreu uma queda de 2,14% para os 109 dólares por título. As mais penalizadas com quedas superiores a 6% foram a Marathon Oil Corp, a Murphy Oil Corp, a Devon Energy Corp e a Chesapeake Energy Corp. Desta forma, o S&P 500 caiu 0,22% para os 2.363,01 pontos.

O Dow Jones foi pelo mesmo caminho com uma desvalorização de 0,33% para os 20.855,73 pontos, o que deixa o índice mais longe do recorde que alcançou na semana passada de 21 mil pontos. Esta quarta-feira, no entanto, foi positiva para a Snap que recuperou 5,69% para os 22,66 dólares por ação, ainda assim abaixo do valor transacionado no dia seguinte à dispersão em bolsa. O Nasdaq escapou a uma queda por pouco: o índice valorizou 0,06% para os 5.837,55 pontos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Queda do petróleo penaliza Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião