Direto Dívida da Caixa “será obviamente honrada”

Mário Centeno esclareceu que é "aquilo que todos esperamos que a CGD venha a fazer". Sobre o reembolso, este poderá começar a ser feito cinco anos após a emissão.

Mário Centeno voltou ao Parlamento para esclarecer os deputados sobre a Caixa Geral de Depósitos (CGD). O ministro das Finanças esteve esta manhã na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa (COFMA), onde foram abordados os resultados e a reestruturação do banco público, a pedido do PSD e do Bloco de Esquerda.

A CGD reportou prejuízos de 1.859 milhões de euros em 2016, penalizada sobretudo pelas imparidades de três mil milhões de euros. Os prejuízos levaram à necessidade de uma capitalização de 2,5 mil milhões, além de uma reestruturação do banco. Paulo Macedo já anunciou que o programa de rescisões da Caixa vai arrancar em abril, com o objetivo de dispensar 2.200 pessoas. Até 2020, o banco público deverá ficar com apenas 470 a 490 balcões, contra os atuais 651.

A reunião desta quarta-feira serviu ainda para votar o requerimento do PSD para audição do ministro das Finanças sobre o acordo alcançado com o Santander Totta no caso dos swaps.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Dívida da Caixa “será obviamente honrada”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião