Portugal paga juro abaixo de 4% por dívida de muito longo prazo

Num regresso à dívida de longo prazo, o IGCP conseguiu financiar-se em mil milhões de euros. Colocou 685 milhões a 10 e 315 milhões a 28 anos, prazo no qual conseguiu uma taxa abaixo de 4%.

Portugal conseguiu juros mais baixos no leilão de dívida de muito longo prazo. A taxa ficou abaixo de 4% nos títulos com maturidade a 28 anos, com os quais a agência liderada por Cristina Casalinho conseguiu financiar-se em 315 milhões de euros. No total, considerando os dois leilões, a dez e a 28 anos, o IGCP obteve os mil milhões de euros que pretendia.

No prazo a 28 anos, o IGCP obteve 315 milhões de euros, sendo que a procura foi 2,1 vezes o montante efetivamente colocado. Esta procura ajudou a baixar a taxa exigida pelos investidores a Portugal, levando-a a cair para 3,977%. No mercado secundário, a referência para o prazo a 30 anos está nos 3,992%.

Este leilão contou com juro mais baixos do que os registados no ano passado na mesma maturidade, de acordo com os dados revelados pela Bloomberg. Na operação com recurso a um sindicato bancário, em abril de 2016 o Tesouro pagou uma taxa de juro média de 4,235% para colocar mil milhões de euros em dívida.

Ao financiar-se a quase 30 anos com uma taxa abaixo de 4%, Portugal conseguiu um custo mais baixo do que tem de pagar atualmente pelos empréstimos oficiais do Fundo Monetário Internacional (FMI). Daí que estejam a ser feitas amortizações antecipadas deste empréstimo. A última foi de mil milhões no final de junho, estando previsto pagar mais 2.600 milhões em agosto.

Dívida a dez anos mais cara

Se se assistiu a uma quebra nos juros pela dívida de muito longo prazo, o regresso aos leilões de dívida a dez anos saiu mais caro. Neste leilão, em que Portugal colocou 685 milhões de euros, a taxa subiu, à semelhança do que se verificou no mercado secundário nas últimas semanas. A taxa acabou por ficar nos 3,085%.

Esta taxa compara com a média de 2,851% do ultimo leilão comparável que se realizou a 14 de junho, sendo que nesta operação a procura foi muito menor: 1,52 vezes o valor pretendido pelo IGCP. Nessa ocasião, o Tesouro português conseguiu colocar 750 milhões de euros em dívida com maturidade a dez anos.

(Notícia atualizada às 10h44 com mais informação sobre as taxas dos leilões de dívida)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal paga juro abaixo de 4% por dívida de muito longo prazo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião