Trump no Twitter: resposta militar está “locked and loaded”

  • Juliana Nogueira Santos
  • 11 Agosto 2017

Coreia do Norte ameaça, EUA voltam a ameaçar. Ainda não eram oito da manhã em Washington e já Trump afirmava que a resposta militar a Jong-Un está "bloqueada e carregada".

A dança de ameaças entre os Estados Unidos da América e a Coreia do Norte continua e o último passo foi dado por Trump. Esta manhã de sexta-feira, pouco antes das 8h00 em Washington, o Presidente norte-americano garantiu que “as soluções militares estão agora preparadas, bloqueadas e carregadas” — “locked and loaded”, na versão original –, caso Jong-Un não encontre “outro caminho”.

O tweet partilhado logo pela manhã segue-se aos avisos deixados a Pyongyang de que “coisas acontecerão como nunca pensaram ser possíveis” e de que, em caso de ataque, os Estados Unidos vão responder com “fogo e fúria”. O Presidente está de férias num dos seus clubes privados de golfe, mas continua de olhos postos nas ameaças nucleares da Coreia do Norte.

Do lado de Pyongyang, as ameaças são bem mais concretas. A Coreia do Norte garante que está a estudar “cuidadosamente” a possibilidade atacar com mísseis o território norte-americano de Guam, no Oceano Pacífico, sendo que o país está pronto para atacar “a qualquer momento”, dependendo apenas da ordem de Kim Jong-Un.

Mercados continuam a tremer

Os receios dos investidores relativamente a um conflito mundial nuclear está provocar um agosto quente nos mercados, com as ações europeias a prepararem-se para o pior registo semanal do ano. Enquanto recuam as bolsas, os ativos refúgio sobem. É o que acontece com algumas moedas, mas também com o ouro que ganha mais brilho.

O índice Stoxx 600 recua, nesta sexta-feira, em torno de 1%, prolongando as perdas das últimas sessões, e preparando-se para o pior registo semanal desde novembro do ano passado. A praça lisboeta acompanha o sentimento das pares europeias, com o PSI-20 a recuar perto de 1%.

Ao mesmo tempo, os investidores estão a refugiar-se cada vez mais nos mais tradicionais ativos em períodos de tensão geopolítica. O ouro valoriza mais uma vez, estando cada vez mais próximo da fasquia dos 1.300 dólares. Ou seja, para máximos do início de junho.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trump no Twitter: resposta militar está “locked and loaded”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião