Governo aprova fundo de 200 milhões para startups e PME

  • Lusa
  • 24 Agosto 2017

O Fundo Coinvestimento 200M destina-se a apoiar operações de investimento de capital e quase capital.

O Conselho de Ministros aprovou hoje um fundo de 200 milhões de euros para apoiar pequenas empresas, incluindo as startup, na fase de arranque e crescimento e atrair investimento estrangeiro para Portugal.

O Fundo Coinvestimento 200M destina-se a apoiar operações de investimento de capital e quase capital em Pequenas e Médias Empresas (PME), em regime de coinvestimento com os privados.

“O que pretendemos com este fundo é permitir às empresas que consigam crescer, não fiquem apenas nas fases iniciais”, explicou o ministro da economia, Caldeira Cabral, no briefing sobre a reunião do Conselho de Ministros.

O governante adiantou ainda que a intenção do Governo é atrair investimento estrangeiro, investidores estrangeiros qualificados, que tragam investimento e conhecimento na área tecnológica.

“Este investimento insere-se já na preparação da nova WebSummit, para este ano [em novembro em Lisboa], onde pensamos que este investimento vai ser muito importante para entusiasmar ainda mais os investidores a virem para Portugal”, acrescentou Caldeira Cabral.

Este novo fundo tinha sido anunciado na sequência da última WebSummit, segundo o comunicado do Conselho de Ministros. No mesmo documento, o executivo explica que o novo fundo pretende “fomentar” a constituição ou a capitalização de empresas, “prioritariamente na fase de arranque”, e promover o incremento da atividade de capital de risco em Portugal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo aprova fundo de 200 milhões para startups e PME

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião