PSI-20 tímido, mas feliz. Mota-Engil sobe 7%

  • Ana Batalha Oliveira
  • 27 Setembro 2017

A bolsa nacional continua sem razões para corar, apesar da timidez dos ganhos. A Mota-Engil foi o centro das atenções no índice, mas o BCP não deixou a construtora sozinha no palco. Subiu mais de 4%.

A bolsa nacional continua a ganhar terreno. Voltou a valorizar, acompanhando as principais praças europeias num dia marcado por uma forte valorização da Mota-Engil. O BCP também brilhou com uma subida de mais de 4%, enquanto a Galp Energia impediu uma subida mais expressiva do índice de referência de Lisboa.

A Mota-Engil faturou na bolsa depois de conseguir mais de 500 milhões de euros com duas obras em África, com contratos em Moçambique e Angola. A construtora portuguesa fechou o dia com uma valorização de 7,01% nos seus títulos, que atingiram assim os 3,10 euros. O BCP inverteu as perdas da última sessão para terminar com uma valorização de 4,08%, com os títulos a serem transacionados nos 23,98 cêntimos.

O PSI-20 terminou assim o dia com uma subida de 0,32% para os 5.333,61 pontos, enquanto o Stoxx 600 subiu 0,4% — o IBEX-35, de Espanha, disparou 1,81%. O ciclo positivo dura há treze sessões, sendo apenas interrompido por uma ligeira quebra no dia de 20 setembro. Nem a queda da Galp Energia, que é agora a cotada mais valiosa do PSI-20, foi suficiente para travar as boas notícias.

A petrolífera foi corrigiu depois de atingir máximos de 2011 na última sessão, à boleia dos preços de petróleo. Terminou a sessão a perder 0,96% para os 14,93 euros por ação, acompanhando a queda nos preços do ouro negro. O Brent, referência para a Europa, está nos 57,79 dólares, apresentando uma desvalorização de mais de 1%. Nota negativa também para os CTT, que caíram 1,45% para os 5,02 euros e a Nos, que caiu 1,31% para os 5,19 euros.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

PSI-20 tímido, mas feliz. Mota-Engil sobe 7%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião