Dow Jones abre em recorde mas petróleo pesa nas bolsas

O índice industrial voltou a renovar máximos na abertura, acima dos 26.000 pontos, mas rapidamente recuou para terreno negativo. Bolsas seguem com perdas ligeiras num contexto de fracos resultados.

As bolsas norte-americanas abriram com quedas ligeiras esta quarta-feira, à exceção do índice industrial, que voltou a arrancar a sessão em máximos históricos acima dos 26.000 pontos, mas que rapidamente regressou a terreno negativo. Apesar do sentimento positivo que se fez sentir na última sessão, resultados pouco satisfatórios de algumas empresas condicionaram a abertura de Wall Street.

O S&P 500 cai 0,06% para perto dos 2.800 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq recua 0,05% para cerca de 7.294 pontos, pressionado por quedas em grandes empresas como a Apple, Google e Facebook. O industrial Dow Jones chegou a abrir no verde, renovando um novo máximo histórico no instante da abertura, acima dos 26.000 pontos, mas rapidamente corrigiu e mantém-se praticamente inalterado, caindo 0,01% para perto dos 26.120 pontos.

De acordo com a Reuters, as quedas registam-se sobretudo no setor energético, num contexto de nova queda nos preços do petróleo. O contrato de WTI para entrega em fevereiro recua 0,47% para 63,67 dólares por barril.

Em plena temporada de apresentação de resultados relativos ao quarto trimestre de 2017, números aquém das expectativas condicionaram o arranque das bolsas nesta quinta-feira. A Alcoa, que apresentou ganhos abaixo das estimativas dos analistas, chegou a derrapar 7,8% na negociação antes da abertura das bolsas.

Outra empresa a revelar números foi o Morgan Stanley, um dia depois de virem a público números pouco satisfatórios do Goldman Sachs e do Bank of America. Apesar da tendência negativa, o Morgan Stanley conseguiu apresentar lucros melhores do que o antecipado e as ações do banco sobem 0,31% para 55,46 dólares.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Dow Jones abre em recorde mas petróleo pesa nas bolsas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião