Carlos César: Santa Casa não pode ser “serviçal do interesse do Estado”

  • ECO
  • 24 Janeiro 2018

A entrada da Santa Casa no Montepio continua a gerar reações por parte de figuras políticas. À TSF, Carlos César, presidente do PS, defendeu que instituição "pode e deve fazer um bom negócio".

O presidente do PS, Carlos César, considera que a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa não pode ser uma “serviçal dos interesses do Estado”. O socialista falava num programa da rádio TSF acerca da entrada da instituição no capital do Montepio Geral. No entanto, Carlos César considerou que a Santa Casa “pode e deve fazer um bom negócio”.

À rádio, Carlos César afirmou: “A Santa Casa da Misericórdia pode e deve fazer um bom negócio. Não pode, evidentemente, confinar-se a uma posição serviçal do interesse do Estado”. Isto para mais à frente considerar “longe de ser novidade” em Portugal a presença de instituições como a Santa Casa “no setor financeiro”. Para Carlos César, este dossiê é “o último dos casos das desgraças que este Governo recebeu” do PSD/CDS.

Por fim, o presidente do PS disse ver com bons olhos a “contenção” de Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, em relação a este tema. E acrescentou uma crítica implícita ao ex-Presidente Cavaco Silva: “É importante que o sr. Presidente da República tenha a contenção que outros Presidentes da República, no passado, não tiveram quando falaram de instituições bancárias e o induziram os portugueses a confiar em produtos e em instituições nas quais não tinham razão para confiar.”

Comentários ({{ total }})

Carlos César: Santa Casa não pode ser “serviçal do interesse do Estado”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião