PSD leva economia e emprego esta quinta-feira ao Parlamento

  • Lusa
  • 5 Março 2018

Este será o primeiro agendamento potestativo – direito de um partido fixar a ordem do dia no parlamento - da nova direção da bancada social-democrata liderada por Fernando Negrão.

O PSD escolheu os temas da economia e do emprego para um debate parlamentar que o partido agendou para quinta-feira, disse à Lusa fonte social-democrata.

Este será o primeiro agendamento potestativo – direito de um partido fixar a ordem do dia no parlamento – da nova direção da bancada social-democrata liderada por Fernando Negrão e sob a presidência de Rui Rio.

Na passada quinta-feira, durante uma visita à Bolsa de Turismo de Lisboa, o presidente do PSD considerou que “a economia não está a correr tão bem assim” e “já está a definhar”, mas defendeu que “há oposição para lá da economia” porque há outras áreas em Portugal com problemas.

É verdade que é sempre mais fácil fazer oposição quando a economia corre mal do que quando a economia não corre mal, mas em primeiro lugar a economia não está a correr tão bem assim e há oposição para lá da economia, há vida para lá da economia, há país para lá da economia“, respondeu aos jornalistas Rui Rio, nessa ocasião.

Na passada quarta-feira, o Instituto Nacional de Estatística (INE) confirmou que a economia portuguesa cresceu 2,7% em 2017 e aproxima-se do valor que tinha em 2010, tendo ainda revisto em baixa a taxa de desemprego de dezembro para os 8,0%.

Questionado na visita à BTL se não partilha do otimismo do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que considerou “muito boas notícias” estes dados do INE, Rui Rio respondeu que “obviamente é preferível que os dados sejam bons que os dados sejam maus”. “Mas eu não vou deixar de conseguir fazer oposição porque há alguns indicadores que estão bons. Na saúde está bem tudo? Na educação está tudo bem? Na política florestal está tudo bem? Não está e sabemos que não está, portanto, não vamos olhar só para a economia apesar de eu ser economista e até ter tendência para isso”, afirmou.

No debate de quinta-feira, caberá ao PSD fazer a abertura e o encerramento de uma discussão com tempos totais previstos de cerca de duas horas. Num agendamento potestativo, caso o partido proponente apresente iniciativas legislativas o regimento da Assembleia da República prevê que estas sejam votadas no próprio dia.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PSD leva economia e emprego esta quinta-feira ao Parlamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião