EDP paga dividendo a 2 de maio, EDP Renováveis um dia depois

  • Rita Atalaia
  • 6 Abril 2018

A empresa liderada por António Mexia vai dar um dividendo de 19 cêntimos por ação. O pagamento aos acionistas será feito a 2 de maio. Já a EDP Renováveis paga seis cêntimos um dia depois.

A EDP vai pagar os dividendos já no início do próximo mês. Será a 2 de maio que a empresa liderada por António Mexia entregará um dividendo de 19 cêntimos por ação aos seus acionistas, de acordo com que foi aprovado em assembleia geral. Isto depois de a elétrica ter fechado o ano de 2017 com lucros de 1.113 milhões de euros, um crescimento de 16% face ao ano de 2016. A EDP Renováveis entrega os dividendos um dia depois.

“Informa-se que a assembleia geral anual da EDP, realizada em 5 de abril de 2018, aprovou a proposta do conselho de administração executivo de aplicação de resultados relativos ao exercício de 2017, tendo determinado a distribuição de um dividendo bruto de 0,19 euros por cada ação. Os dividendos estarão a pagamento a partir do dia 2 de maio de 2018″, lê-se no documento enviado à CMVM pela empresa liderada por António Mexia.

As ações da EDP fecharam a última sessão da semana nos 3,087 euros. Por isso, com base na cotação atual, a remuneração oferece uma rentabilidade de 6,15%. A empresa vai distribuir um total de 695 milhões de euros em dividendos pelos acionistas.

"Informa-se que a assembleia geral anual da EDP – Energias de Portugal, realizada em 5 de abril de 2018, aprovou a proposta do conselho de administração executivo de aplicação de resultados relativos ao exercício de 2017, tendo determinado a distribuição de um dividendo bruto de 0,19 euros por cada ação. Os dividendos estarão a pagamento a partir do dia 2 de maio de 2018.”

EDP

Apenas um dia depois, a 3 de maio, será a vez de a EDP Renováveis pagar um dividendo de seis cêntimos por ação aos seus acionistas, de acordo com um outro comunicado enviado à CMVM. Isto depois de a subsidiária da EDP ter multiplicado por cinco os lucros no ano passado.

As ações da EDP Renováveis fecharam a última sessão da semana nos 8,00 euros, depois de terem atingido um máximo histórico de 8,04 euros na quinta-feira. Com base na cotação atual, a remuneração oferece uma rentabilidade de 0,75%.

A EDP Renováveis aprovou na assembleia geral de acionistas a distribuição de um dividendo de seis cêntimos por ação referente ao ano de 2017. A empresa vai distribuir um total de 52,3 milhões de euros em dividendos pelos seus acionistas. Ou seja, um quinto do que lucrou em 2017 (276 milhões).

A EDP Renováveis informa ainda que a partir do dia 30 de abril de 2018 (inclusive), as ações representativas do capital social da empresa serão transacionadas em mercado regulamentado sem conferirem direito a dividendos. No caso da EDP, será a partir de dia 27 de abril.

Atenção à dupla tributação dos dividendos

É preciso relembrar que a EDP Renováveis é uma empresa espanhola. Ou seja, ao abrigo da lei fiscal espanhola, o dividendo estará sujeito a uma taxa de retenção na fonte em Espanha de 19%. Contudo, a tributação final dependerá, em última instância, da residência fiscal de cada acionista.

De acordo com a legislação fiscal portuguesa, o dividendo estará também sujeito a uma taxa liberatória de retenção na fonte de 28% no caso das pessoas singulares e de 25% no caso das empresas.

Por isso, a empresa liderada por Manso Neto nota que os acionistas que não sejam residentes em Espanha deverão entregar um documento que comprove que já pagaram o imposto no país de origem. Estes documentos terão de ser enviados ao Banco Santander até ao dia 1 de junho.

(Notícia atualizada às 18h00 com o comunicado da EDP)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EDP paga dividendo a 2 de maio, EDP Renováveis um dia depois

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião