Estado afasta Everjets. Contrata três Kamov por ajuste direto

  • ECO
  • 28 Abril 2018

O Estado vai denunciar o contrato com a Everjets pelo facto de a empresa ter os Kamov parados desde o início do ano. Além disso, vai contratar três helicópteros por ajuste direto.

O Estado vai denunciar o contrato com a Everjets, a responsável pela operação e manutenção de três helicópteros Kamov, avança o Diário de Notícias. Isto porque as aeronaves estão paradas desde o início do ano, o que levou a empresa a ser multada em quatro milhões de euros por incumprimento do contrato. Além disso, o ministro da Administração Interna vai abrir um procedimento por ajuste direto para uma nova contratação do mesmo número de Kamov para combater os fogos florestais.

A denúncia do contrato com a Everjets deve-se ao facto de a empresa ter os Kamov parados desde janeiro para manutenção, avança o DN, referindo que a A Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) não tem certificado as peças para a reparação dos helicópteros. Em abril, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, já tinha afirmado que a Everjets terá de pagar quase quatro milhões de euros por incumprimento do contrato.

O jornal avança ainda que, na próxima semana, o ministro vai abrir um procedimento para contratar por ajuste direto três Kamov. Isto será feito através de consulta pública, sem passar pelas tramitações de um concurso público internacional. Se assim fosse, atrasaria muito a reposição dos três helicópteros que são usados no combate aos incêndios.

Segundo o Público, o Ministério da Administração está a negociar com italianos e portugueses para garantir o aluguer de mais de 20 aeronaves para garantir que o dispositivo de combate aos incêndios fica pronto em maio.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Estado afasta Everjets. Contrata três Kamov por ajuste direto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião