Avaliação que os bancos fazem das casas sobe há um ano sem parar. Está em máximos de 2010

O valor da avaliação bancária fixou-se numa média de 1.171 euros por metro quadrado em abril deste ano, o valor mais elevado desde junho de 2010.

O preço a que os bancos avaliam as casas para efeito de concessão de crédito voltou a aumentar. O valor da avaliação bancária está a subir há um ano consecutivo e, em abril deste ano, fixou-se numa média de 1.171 euros por metro quadrado, o valor mais elevado desde o verão de 2010.

Os dados são do Instituto Nacional de Estatística (INE), que revela que o valor médio de avaliação bancária, de 1.171 euros em abril, representa um aumento de 0,3% relativamente a março e de 5,5% face ao mesmo mês do ano passado. Este foi o 13.º mês consecutivos de aumento dos preços e este é o valor mais elevado desde junho de 2010, quando o valor médio da avaliação bancária estava nos 1.176 euros por metro quadrado.

Valor médio da avaliação bancária em máximos de junho de 2010

De março para abril, os maiores aumentos verificaram-se nos Açores e na Madeira, onde o valor médio da avaliação bancária subiu 1,99% e 1,89%, respetivamente. Em sentido contrário, as regiões Norte e Centro registaram quebras, de 0,28% e 0,42%, respetivamente.

Considerando apenas os apartamentos, o valor médio de avaliação bancária subiu em 0,5%, para uma média de 1.224 euros por metro quadrado. Já o valor das moradias caiu em 0,28%, fixando-se numa média de 1.074 euros por metro quadrado.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Avaliação que os bancos fazem das casas sobe há um ano sem parar. Está em máximos de 2010

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião