Defesa pede liberdade ou prisão domiciliária para Lula da Silva

Os advogados do antigo Presidente brasileiro, Lula da Silva, alegam que existem irregularidades na condenação. Pedem liberdade ou prisão domiciliária enquanto é apresentado recurso da pena ao STF.

A defesa de Lula da Silva entregou ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido para que seja concedida prisão domiciliária ao ex-Presidente brasileiro, caso não seja autorizado que recorra da sentença de condenação em liberdade. Em causa, segundo a defesa, alegadas irregularidades na condenação do antigo chefe de Estado, que está preso desde abril em Curitiba.

A notícia foi avançada pelo Valor Econômico, que refere que os advogados de Lula da Silva começaram por pedir que Lula da Silva possa recorrer da recente sentença em liberdade. Para a defesa, existem irregularidades na condenação que poderão permitir reverter a condenação. Desta forma, argumenta, os recursos deveriam suspender a execução da pena, escreve o mesmo jornal.

Mas se a Justiça considerar que a pena não pode ser suspensa, os advogados de Lula da Silva têm um pedido alternativo: que o ex-Presidente possa ficar em prisão domiciliária enquanto é apresentado recurso nos tribunais superiores.

Estes são os mais recentes esforços para reverter a condenação de prisão do ex-Presidente da República. Lula da Silva tenciona recandidatar-se ao cargo nas próximas eleições, embora a lei brasileira impeça as candidaturas de cidadãos condenados. Lula da Silva foi condenado a 12 anos e um mês de prisão e encontra-se a cumprir pena nas instalações da Polícia Federal, em Curitiba. Em causa, crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Defesa pede liberdade ou prisão domiciliária para Lula da Silva

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião