Donald Trump: “Plano do Brexit deverá matar acordo comercial com os EUA”

Para o Presidente norte-americano, o Brexit que está a ser planeado por Theresa May vai prejudicar um acordo de comércio livre com os EUA.

As coisas não estão fáceis para Theresa May. Donald Trump criticou a primeira-ministra britânica, assegurando que a forma como o divórcio com a União Europeia (UE) está a ser planeado “deverá matar” as hipóteses de o Reino Unido conseguir um acordo de comércio livre com os Estados Unidos. Em entrevista ao jornal The Sun (conteúdo em inglês), o Presidente norte-americano disse ainda que explicou a May como planear o Brexit, mas que esta não lhe deu ouvidos.

“Se Theresa May fizer um acordo como este, vamos estar a negociar com a UE em vez de negociar com o Reino Unido, por isso, isto provavelmente acabará com o acordo” de comércio livre, disse Donald Trump. “É muito mau o que se está a passar“, continuou. Este acordo comercial entre os britânicos e os Estados Unidos é prometido há muito tempo pelo Presidente norte-americano mas, tal como este afirmou, o Brexit “afetará definitivamente o comércio com os EUA, infelizmente de forma negativa”.

“Estamos a atacar a União Europeia porque não tratou os Estados Unidos de forma justa no comércio”, disse Donald Trump. E, quando questionado se, caso fosse ele a negociar a saída do Reino Unido da UE, o faria de uma forma mais dura, o presidente não hesitou: “Eu teria feito tudo muito diferente. Na verdade, eu disse a Theresa May como fazer isso [Brexit], mas ela não concordou, não me deu ouvidos“.

Para o líder dos Estados Unidos, Theresa May “optou por um caminho oposto” mas, embora reconheça que esta “deve negociar da melhor forma que sabe”, o que está a acontecer “é muito mau e infeliz”. Ainda assim, apesar de todas as críticas, Donald Trump reconheceu que a primeira-ministra britânica “é uma pessoa muito boa“.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Donald Trump: “Plano do Brexit deverá matar acordo comercial com os EUA”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião