Elétricas castigam PSI-20. Lisboa acompanha Europa

  • Juliana Nogueira Santos
  • 17 Julho 2018

A EDP e a EDP Renováveis caem perto de 0,5%, empurrando o principal índice bolsista para terreno negativo. Lisboa segue a tendência europeia. 

A bolsa de Lisboa abriu esta terça-feira em queda, com as empresas do setor energético a serem as que mais pressionam. A EDP e a EDP Renováveis caem perto de 0,5%, empurrando o principal índice bolsista para terreno negativo, acompanhando assim a tendência das restantes praças europeias.

Após a EDP Renováveis ter anunciado um aumento de produção de 6% nos primeiros cinco meses do ano, as ações da empresa liderada por Manso Neto não estão a responder positivamente, ao caírem 0,22% para 8,95 euros. Mas são as ações da casa-mãe que mais perdem. A EDP desliza 0,58% para 3,44 euros, levando o PSI-20 a ceder 0,21% para 5.609,13 pontos.

São apenas três cotadas que seguem em terreno positivo: a Sonae Capital, que sobe 0,43% para 93 cêntimos, a Jerónimo Martins, que ganha 0,12% para 12,67 euros, e a Sonae, que avança 0,10% para 1,03 euros. Estas valorizações não são suficientes para equilibrar a balança.

A acompanhar o universo EDP nas quedas está a Nos, que viu o seu preço alvo cortado pelo Citigroup em 80 cêntimos, passando assim dos 5,90 euros para os 5,10 euros. Ainda assim, as ações da empresa de telecomunicações seguem a negociar bem abaixo deste valor, ao caírem 0,62% para 4,82 euros.

Destaque ainda para a Galp Energia, que após ter anunciado um aumento de produção, viu os preços do petróleo a afundarem perante os sinais de alívio no que respeita a interrupções de produção. O preço da matéria-prima continua em queda esta terça-feira, ainda que menos expressiva, o que leva a petrolífera portuguesa a cair 0,39% para 16,81 euros.

Na Europa a sessão também é de perdas, mas menos expressivas, com o agregador Stoxx 600 a iniciar o dia a perder 0,09%. Em Espanha, o IBEX-35 perde 0,04%, enquanto em França o CAC-40 cai 0,10%.

“Os investidores mantêm‐se expectantes em relação aos resultados empresariais que serão divulgados e às declarações do Presidente da FED, Jerome Powell sobre a política monetária. Entretanto, o FMI reduziu as suas previsões de crescimento para o Reino Unido e para a Zona Euro, tendo alertado que as tensões comerciais globais deterioraram as perspetivas económicas”, destacam os analistas do BPI no seu diário de bolsa.

(Notícia atualizada às 8h25 com mais informação)

Comentários ({{ total }})

Elétricas castigam PSI-20. Lisboa acompanha Europa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião