Marcelo recebe taxistas na segunda-feira

  • ECO e Lusa
  • 20 Setembro 2018

Os representantes do setor do táxi queriam ser recebidos pelo Presidente da República ou pelo primeiro-ministro como um dos critérios para pôr fim à sua paralisação no Porto e em Lisboa.

Marcelo Rebelo de Sousa deverá receber os representantes dos taxistas esta segunda-feira, de acordo com a SIC Notícias. Os táxis manifestam-se em Lisboa, no Porto e em Faro desde ontem, quarta-feira, contra a entrada em vigor da lei que regula as plataformas eletrónicas de transporte de passageiros, que foi alcunhada “lei da Uber”.

Esta manhã de quinta-feira, Marcelo Rebelo de Sousa considerou que protestos como o dos taxistas são naturais, já que “o que seria estranho” era não haver manifestações antes da apresentação do Orçamento do Estado. A lei em causa, afirmou, está “nas mãos da Assembleia da República”, embora sem se esquivar a receber os representantes sindicais que requeressem um encontro.

De acordo com Carlos Ramos, presidente da Federação Portuguesa do Táxi, os táxis em Lisboa já se encontram no cruzamento da Avenida da República com a Avenida Elias Garcia. Cerca de 30 horas após o início do protesto, os taxistas não pensam em desistir da luta, mesmo depois de o eixo central da Avenida da Liberdade, que estava cortado desde as 05:00 de quarta-feira, ter sido hoje reaberto às 07:30 pela PSP.

O protesto dos taxistas contra a entrada em vigor da lei das plataformas eletrónicas de transporte em veículos descaracterizados cresceu hoje, ao segundo dia de protesto, com mais de 1.300 carros parados em Lisboa, segundo a organização.

Na quarta-feira os representantes as duas entidades representativas dos táxis reuniram-se com os grupos parlamentares para travar a lei que regulamenta as TVDE, como a Uber e a Cabify, mas na falta de respostas positivas às reivindicações decidiram prolongar o protesto. Os dirigentes da Federação Portuguesa do Táxi e da Associação Nacional de Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) voltaram pelas 19:00 de quarta-feira aos Restauradores para apelar aos manifestantes para não desmobilizarem, uma vez que as reivindicações não tinham sido satisfeitas no parlamento.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Marcelo recebe taxistas na segunda-feira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião