Uber quer dominar o negócio de entrega de comida. Negoceia compra de Deliveroo

A Deliveroo está avaliada em mais de dois mil milhões de dólares, o que faz com que a Uber tenha de apresentar um valor superior para conseguir convencer a britânica.

A Uber Technologies Inc. está em negociações com a britânica Deliveroo, para comprar uma das maiores empresas de entrega de comida. Em cima da mesa está um montante com vários mil milhões de dólares, ainda que não se saiba o valor exato, escreve a Bloomberg (acesso livre, conteúdo em inglês).

A proposta da Uber mostra que a empresa está a tentar dominar o negócio de entrega de alimentos na Europa. A concretizar-se, a aquisição da Deliveroo pode significar para a multinacional liderada por Dara Khosrowshahi uma grande vantagem neste setor de negócio.

Com sede em Londres, a Deliveroo está avaliada em mais de dois mil milhões de dólares. Por isso, e de acordo com fontes conhecedoras dos planos da entregadora, qualquer oferta feita pela Uber precisa de estar consideravelmente acima de avaliação mais recente.

As mesmas fontes revelaram que as negociações podem terminar a qualquer momento, uma vez que a britânica e os seus investidores não tencionam abrir mão da independência. Os porta-vozes, tanto da Uber como da Deliveroo, recusaram-se a comentar as negociações.

A Deliveroo é uma das maiores startups da Europa, está presente em mais de 200 cidades em quatro continentes. Só no ano passado, a britânica alcançou por volta de 480 milhões de investidores, incluindo a Fidelity Investments e a T. Rowe Price Group Inc. A empresa concorre diretamente com a Uber Eats, a empresa de entrega de alimentos da Uber.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Uber quer dominar o negócio de entrega de comida. Negoceia compra de Deliveroo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião