Miguel Barreto rejeita ter oferecido Central de Sines à EDP

  • Lusa
  • 10 Outubro 2018

Na comissão parlamentar de inquérito às rendas excessivas dos produtores de eletricidade, o ex-diretor-geral da Energia garante que não favoreceu nenhum interesse particular, apenas o Estado luso.

O antigo diretor-geral de Energia Miguel Barreto garantiu, esta quarta-feira, no parlamento que não favoreceu “nenhum interesse particular, apenas o Estado português”, rejeitando a “ideia errada” de que deu a central de Sines à EDP.

Na sua intervenção inicial na comissão parlamentar de inquérito às rendas excessivas dos produtores de eletricidade, Miguel Barreto começou por esclarecer que, em audições anteriores, lhe foram atribuídos “atos” que põem em causa o seu bom nome, como “a ideia errada de que o diretor-geral deu a central de Sines à EDP, ainda por cima, de graça”.

“Não foi o diretor-geral que decidiu dar a licença sem prazo à EDP, decorria da lei. Também é falso que o diretor-geral de energia tenha dado a central [de Sines] à EDP. Finalmente se não deu também não podia cobrar e é descabido dizer que foi oferecido à EDP o que já era seu desde, pelo menos, 1996”, declarou.

Miguel Barreto sublinhou que “as três questões que têm sido levantadas sobre a central de Sines são infundadas”, realçando que, enquanto diretor-geral (2004-2008), “apenas cumpriu a lei”.

“Não favoreci nenhum interesse particular, apenas o Estado português”, declarou.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Miguel Barreto rejeita ter oferecido Central de Sines à EDP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião