Portugal com maior verba da UE de remessas de emigrantes

  • Lusa
  • 15 Novembro 2018

Emigrantes portugueses enviaram um total de mais de 3,5 mil milhões de euros para Portugal em 2017.

Portugal foi o país da União Europeia (UE) com maiores remessas de emigrantes em 2017, num total de mais de 3,5 mil milhões de euros, segundo o Eurostat.

Dos 3.555 milhões de euros recebidos de remessas dos emigrantes em Portugal, um total de 2.117 milhões foram transferidos por trabalhadores dentro da UE e 1.437 chegaram de fora do espaço europeu.

Portugal tem ainda o maior excedente (3.037 milhões de euros) no saldo das transferências de dinheiro, dado que apenas 518 milhões de euros foram remessas de imigrantes.

Depois de Portugal, a Polónia (2,8 mil milhões de euros) e a Roménia (2,6 mil milhões de euros) têm os maiores excedentes nas remessas, enquanto a França (-10,6 mil milhões de euros), a Alemanha (-4,6 mil milhões de euros), o Reino Unido (-4,5 mil milhões de euros) e a Itália (-4,0 mil milhões de euros) registaram no ano passado os maiores défices (saiu mais dinheiro para o estrangeiro do que foi enviado de expatriados para o país).

Na média da UE, o défice nas transferências de fundos foi, em 2017, de 22 mil milhões de euros (21,7 mil milhões de euros em 2016), tendo saído 32,7 mil milhões de euros (31,8 mil milhões de euros em 2016) e entrado 10,7 mil milhões de euros (10,1 mil milhões de euros em 2016).

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal com maior verba da UE de remessas de emigrantes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião