Acordo do Brexit em condições de ser aprovado, diz Augusto Santos Silva

  • Lusa
  • 19 Novembro 2018

Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, considera que o acordo do Reino Unido com a União Europeia está em condições de ser aprovado pelos 27 e aceite pelo Parlamento britânico.

O projeto de acordo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia “está em condições de ser aprovado pelos chefes de Estado e de Governo” dos 27 na cimeira do próximo domingo, disse esta segunda-feira em Bruxelas o ministro dos Negócios Estrangeiros.

No final de um Conselho de Assuntos Gerais dedicado ao Brexit, Augusto Santos Silva indicou que, após análise do compromisso alcançado entre Bruxelas e Londres, “o Conselho endossou o acordo de saída, o que significa que os chefes de Estado e de Governo no Conselho Europeu extraordinário do próximo domingo podem aprová-lo, e assim a UE dará todos os sinais necessários para a validação desta negociação”.

Questionado sobre a turbulência política em curso em Londres em torno do projeto de acordo apresentado pela primeira-ministra, Theresa May, e as possibilidades de o mesmo ser aprovado pelo parlamento britânico, o chefe de diplomacia portuguesa disse confiar que também o Reino Unido esteja em condições de subscrever o acordo, que “é plenamente satisfatório também para os interesses do Reino Unido”.

“Portanto, respeitando inteiramente o processo democrático próprio do Reino Unido e, por humildade democrática, não podendo estabelecer à partida o desenlace desse processo, confio e espero que esse processo democrático interno ao Reino Unido se realize para que o Reino Unido possa subscrever o acordo de saída, para que o Brexit seja ordenado, seja suave e contenha um período de transição de mais de ano e meio para que possamos negociar com tempo o futuro relacionamento”, declarou Santos Silva.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Acordo do Brexit em condições de ser aprovado, diz Augusto Santos Silva

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião