5 coisas que vão marcar o dia

O início desta semana fica marcado pela divulgação dos primeiros resultados de 2018 por parte de uma grande empresa - a Jerónimo Martins. EUA e China revelam novos dados económicos.

A semana arranca com a Jerónimo Martins a abrir a época de resultados, com a divulgação dos dados preliminares relativos às vendas em 2018. É também o dia em que serão divulgadas novas estatísticas que permitem conhecer a evolução das duas maiores economias do mundo, bem como os dados mais recentes da produção industrial na Europa.

Jerónimo Martins presta contas de 2018

A Jerónimo Martins dá o pontapé de partida da apresentação de resultados do ano que passou, com a divulgação dos dados preliminares das vendas em 2018, após o fecho do mercado acionista. Em 2017, a retalhista alcançou vendas de 16,3 mil milhões de euros, o que representou um aumento de 11% relativamente ao ano anterior, sobretudo graças à Biedronka, a cadeia de supermercados que detém na Polónia.

Como evolui a produção industrial na Europa?

O Eurostat divulga, esta manhã, os dados mais recentes da produção industrial na União Europeia, relativos a novembro. Em outubro, este indicador aumentou tanto no conjunto dos 28 países da União como na Zona Euro, enquanto Portugal ficou em contraciclo com o resto da Europa, com um recuo na produção industrial.

E a balança comercial das duas maiores economias?

Ainda no campo das estatísticas, as duas maiores economias do mundo vão dar novos sinais sobre a evolução da atividade económica. Os Estados Unidos divulgam os dados mais recentes da balança comercial, relativos a novembro, enquanto a China vai divulgar os dados do comércio internacional já relativos ao conjunto do ano passado. Isto numa altura em que os dois países travam uma guerra comercial ainda sem fim à vista, que tem deixado economistas e mercados nervosos quanto ao impacto que esta disputa poderá ter sobre a economia mundial.

Dia 23 do shutdown nos Estados Unidos?

O início desta semana marca também a entrada em mais um dia de shutdown do Governo norte-americano, um bloqueio que já bateu um recorde. É o 23.º dia em que o impasse entre Donald Trump e os democratas impede o desbloqueio do orçamento, devido à intenção do Presidente norte-americano de construir um muro na fronteira com o México. E, para já, não há solução à vista. A manter-se o shutdown, significa que há vários eventos agendados para esta semana que poderão não acontecer — incluindo, por exemplo, a divulgação dos dados estatísticos descritos em cima — mas também o encerramento de mais serviços governamentais, deixando centenas de milhares de trabalhadores sem salário. Até agora o ‘shutdown’ mais longo da história foi de 21 dias, entre o final de 1995 e início de 1996, durante a presidência de Bill Clinton.

Termina a greve dos trabalhadores da Petrogal

Esta segunda-feira, chega ao fim uma das várias greves que têm marcado os últimos meses. Neste caso, é a dos trabalhadores da Petrogal, afetos os sindicatos Fiequimetal e Sicop. Os trabalhadores em greve exigem uma contratação coletiva e a melhoria dos direitos sociais, reivindicando ainda melhores salários e o fim da “desregulação” dos turnos e horários de trabalho.

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião