Davos: FMI apela para a adoção de iniciativas de crescimento sustentável

  • Lusa
  • 23 Janeiro 2019

A diretora-geral do FMI, Christine Lagarde, diz que é o crescimento económico a chave para alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável.

A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, disse esta quarta-feira em Davos que para minimizar o diferencial financeiro e favorecer a inclusão e o crescimento “não é preciso inventar a roda”, mas sim adotar iniciativas de crescimento sustentável.

Lagarde participou hoje em Davos, Suíça, numa mesa redonda, na qual também estava Bono, o vocalista dos U2, sobre as dificuldades para limitar a lacuna financeira que impede que se alcancem os objetivos de desenvolvimento sustentável e sobre qual é o papel que devem desempenhar os setores público e privado.

A diretora-geral do FMI sublinhou que “as finanças são parte da solução”, já que para alcançar os objetivos de desenvolvimento sustentável as economias emergentes deveriam dedicar pelo menos 4% do Produto Interno Bruto (PIB) e gastar mais cerca de 15% do que os países mais pobres.

E isso não vai ocorrer, assegurou Lagarde, pelo que será o setor financeiro que terá de trabalhar nesse sentido.

Muitos países pobres gastam fortunas em consultoras para que os ajudem a adotar planos estratégicos e “só me ocorre dizer: poupem esse dinheiro, não é preciso voltar a inventar a roda”, referiu.

Os objetivos já estão claros, só falta trabalhar, adiantou.

Neste sentido, Bono sublinhou o papel do setor privado, que é o que tem capacidade real para ter êxito.

Um capitalismo “sem restrições pode devorar tudo”, referiu Bono, que apelou para atuar com humildade e cautela e com atenção perante o auge dos populismos.

A chave é o crescimento económico, referiu Lagarde, adiantando que depois vêm as políticas adequadas e um gasto responsável. As perspetivas para os países com menos rendimentos “não são más”, mas é preciso mobilizar a poupança doméstica – “que é a nível global de 13% dos rendimentos, muito baixa” – e gastá-lo de forma eficiente, “evitando a corrupção e os “elefantes brancos”.

Cada país, continuou Lagarde, tem os seus próprios recursos, as suas especificidades e diversas ferramentas financeiras, o bom governo e a liderança estão na base de qualquer esforço e “nos sonhos começa a responsabilidade e a solidariedade”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Davos: FMI apela para a adoção de iniciativas de crescimento sustentável

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião