Vda, ML, PLMJ, Uría Menéndez -Proença de Carvalho e Cuatrecasas são as mais reputadas no mercado

A conclusão é do estudo da Global RepScore Pulse, elaborado pela OnStrategy em parceria com Corporate Excellence Foundation. VdA é a mais reputada das cinco.

A VdA é considerada a firma de advocacia com o índice de reputação mais elevado no mercado, segundo o estudo da Global RepScore Pulse, elaborado pela OnStrategy em parceria com Corporate Excellence Foundation. Seguida pela Morais Leitão (ML), ambas com classificação de B+ (sendo o máximo a classificação de A). A VdA com 76,70 pontos e a ML com 75,80.

Logo a seguir vem a PLMJ com 74,60 — e a classificação de B- — e a Uría Menéndez – Proença de Carvalho (com 74,30 e também com a classificação de B – ) e a Cuatrecasas ocupa o 5º lugar com 73,20 pontos (classificação B-).

O Global RepScore Pulse, que todos os anos é elaborado pela OnStrategy em parceria com o Corporate Excellence Foundation, avalia a reputação das marcas que atuam no mercado nacional, nacionais ou multinacionais, através de um estudo realizado junto de mais de 40 mil cidadãos.

“A reputação é um ativo fulcral da nosso atividade, resultado de muitos anos de trabalho e dedicação aos nossos clientes mas, também, de uma cultura organizacional forte. É, por isso, com satisfação que assistimos ao crescimento sólido dos índices que lhe estão associados num mercado onde atuam as grandes marcas portuguesas e internacionais de excelência”, segundo explicou João Vieira de Almeida, managing partner da Vda, em comunicado enviado à Advocatus.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vda, ML, PLMJ, Uría Menéndez -Proença de Carvalho e Cuatrecasas são as mais reputadas no mercado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião