EDP, Jerónimo Martins e BCP no verde. Pesos-pesados puxam pelo PSI-20

As maiores cotadas do índice nacional somaram ganhos. A bolsa portuguesa valorizou 0,66%, em linha com a tendência positiva nas principais praças europeias.

A bolsa portuguesa fechou no verde, impulsionada pelas maiores cotadas. O PSI-20 ganhou 0,66% para 5.379,51 pontos, com 12 das 18 empresas em terreno positivo. O sentimento foi positivo entre as principais praças europeias que foram contagiadas pelo ânimo dado pelos resultados empresariais nos EUA.

EDP, BCP, Galp e Jerónimo Martins. As maiores cotadas portuguesas valorizaram na sessão desta sexta-feira: a elétrica ganhou 1,93% para 3,48 euros, o banco subiu 1,1% para 0,239 euros e a petrolífera avançou 0,83% para 14,65 euros. A retalhista somou 0,5% para 14,05 euros, depois de ter aprovado esta quinta-feira o pagamento de dividendo de 0,325 euros por ação a 9 de maio e ter nomeado uma nova CFO, após dois anos de vazio no cargo.

O papel também esteve entre as setores que ganharam, com a Semapa a subir 1,64%, a Navigator a avançar 1,48% e a Altri a ganhar 1,04%. Em sentido contrário, a Pharol liderou as perdas, com uma desvalorização de 1,63%. A EDP Renováveis, cujos acionistas aprovaram o dividendo de 7 cêntimos, caiu 1,25% para 8,68 euros por ação.

“O mercado nacional terminou em alta, em linha com o desempenho demonstrado pelas congéneres europeias. As atenções começam agora a voltar-se para o período que se aproxima (final de abril até ao início de junho) e durante o qual as empresas começam a distribuir os seus dividendos“, afirmaram os analistas do BPI, numa nota de fecho da sessão.

Apetite por risco aumenta. Juros das dívidas sobem

Na Europa, “os investidores estiveram sobretudo focados no início da época de resultados nos EUA, na última sessão de uma semana em que a reunião do Banco Central Europeu, o Brexit, as relações sino-americanas e a redução das estimativas de crescimento económico por parte do FMI foram os temas principais”, sublinharam os analistas do BPI.

O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 0,12%, o alemão DAX ganhou 0,54%, o francês CAC 40 valorizou 0,33%, o britânico FTSE 100 somou 0,14%, o italiano FTSE MIB ganhou 0,80% e o espanhol IBEX fechou na linha de água. “Em termos setoriais, os bancos e o setor automóvel foram claramente os melhores performers do dia, com valorizações superiores a 1%. Pela negativa destacaram-se as farmacêuticas e as utilities“, acrescentaram.

O mercado de dívida foi influenciado por dados das exportações chinesas mais robustos que o esperado, que deram esperança aos investidores que a desaceleração da economia global não seja assim tão forte. O renovado apetite por ativos de risco levou as Bunds alemãs ao maior sell-off em 10 meses. A yield destes títulos a 10 anos subiu 6,3 pontos para 0,054%. O juro das obrigações de Portugal avançou para 1,172%.

(Notícia atualizada às 17h)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EDP, Jerónimo Martins e BCP no verde. Pesos-pesados puxam pelo PSI-20

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião