Petrobras perde 7,36 mil milhões após interferência de Bolsonaro

A petrolífera brasileira perdeu 32,4 mil milhões de reais em valor de mercado, um dia depois de ter cancelado o aumento do preço do diesel, pressionada por Bolsonaro.

A petrolífera brasileira perdeu 32,4 mil milhões de reais (7,36 mil milhões de euros) em valor de mercado, um dia depois de ter cancelado a subida do preço do diesel, pressionada pelo Presidente do Brasil, avança o Expansión (conteúdo em espanhol).

As ações da Petrobras encerraram a sessão de sexta-feira a perder mais de 9% em bolsa, com os investidores preocupados com a interferência de Jair Bolsonaro na política de preços da empresa. Uma queda que afetou também a bolsa de valores de São Paulo que perdeu 1,98%.

O Presidente brasileiro — que defendeu, durante a campanha eleitoral, uma política liberal não intervencionista –, vetou a decisão de aumentar o preço do diesel em 5,7%, uma decisão que já estava prevista pela Petrobras.

Liguei para o presidente [da Petrobras], sim. Fiquei surpreendido com o reajuste de 5,7%. Não vou ser intervencionista. Não vou praticar a política que praticámos no passado, mas quero ver os números da Petrobras“, disse Bolsonaro durante uma visita à cidade de Macapá, citado pelo jornal espanhol.

Mais tarde, e após a queda acentuada das ações da Petrobras, o chefe de Estado brasileiro convocou uma reunião com técnicos e ministros na próxima terça-feira para discutir os preços da petrolífera. “Em princípio, o Presidente acredita que a Petrobras, uma empresa de capital aberto e sujeita às regras dos mercados, não deve sofrer interferência política na sua gestão. Aliás, essa é uma das justificações para a crise que temos vivido com Governos anteriores”, disse Otavio Do Rego Barros, porta-voz da Petrobras.

O aumento do preço do diesel provocou uma greve de camionistas em maio do ano passado, durante o Governo de Michel Temer, e praticamente paralisou o país durante 11 dias, provocando ainda a escassez de alimentos e gasolina, entre outros produtos.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Petrobras perde 7,36 mil milhões após interferência de Bolsonaro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião