✅ Quiz: Acha que sabe tudo sobre a crise dos professores?

A recuperação do tempo "perdido" pelo professores deu muito que falar nos últimos dias. Acha que está a par de todos os detalhes desta história? Ora teste.

A recuperação integral do tempo “perdido” pelos docentes vai ser votada, esta sexta-feira, no Parlamento, depois de uma semana em que este assunto muito deu que falar e muita tinta fez correr.

Depois de terem votado na especialidade estas propostas, as bancadas parlamentares vão voltar a expressar em plenário as suas posições. À esquerda, espera-se um redondo “sim” à contabilização dos nove anos, quatro meses e dois dias congelados, mas à direita esse voto favorável só deverá acontecer se forem aprovadas salvaguardas financeiras. Já o PS está totalmente contra esta possibilidade.

Passou a última semana atento às notícias e acha mesmo que está a par de todos os detalhes desta história? Ora teste.

1083

Acha que sabe tudo sobre a crise dos professores?

Os deputados do PSD, CDS, BE e PCP aprovaram na especialidade a recuperação integral do tempo de serviço "perdido" dos professores. Em reação, o primeiro-ministro ameaçou demitir-se e fez explodir uma crise política, que promete terminar esta sexta-feira. Acha que está a par de todos os detalhes desta história? Ora teste.

1 / 7

O diploma aprovado pelo Governo prevê a recuperação de quanto tempo de serviço dos professores?

2 / 7

A proposta aprovada na Comissão de Educação prevê a recuperação de quanto tempo de serviço dos professores?

3 / 7

Na especialidade, que partidos votaram a favor da proposta de reposição integral do tempo "perdido" pelos professores?

4 / 7

Quanto é que custa a recuperação integral do tempo congelado das carreiras especiais, segundo as contas do Governo?

5 / 7

Perante a aprovação na especialidade da recuperação integral do tempo congelado, o que fez o primeiro-ministro?

6 / 7

Face ao ultimato do primeiro-ministro, que partidos decidiram recuar?

7 / 7

Depois do PCP rejeitar os apelos da Fenprof para viabilizar as salvaguardas financeiras da direita, o que fez Mário Nogueira?

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

✅ Quiz: Acha que sabe tudo sobre a crise dos professores?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião