Bankinter reforça aposta no crédito à habitação de taxa fixa

O banco espanhol lançou uma campanha promocional em que oferece juros promocionais nos empréstimos de taxa fixa a 2, 5 e 10 anos, em propostas de crédito à habitação com entrada até 15 de julho.

O Bankinter está a promover a sua oferta de crédito à habitação de taxa fixa, seguindo as pisadas de outros bancos. Para isso está a oferecer juros promocionais nos empréstimos de taxa fixa a dois, cinco e dez anos, em propostas de crédito à habitação com entrada até 15 de julho.

O banco espanhol adianta que os atuais e potenciais clientes podem optar por uma taxa fixa promocional de 1,85% a dez anos, valor que é independente do montante solicitado e do rácio de financiamento/garantia. Para além desse prazo, o Bankinter também oferece taxas promocionais a dois e cinco anos, com valores de 1% e 1,3%, respetivamente, onde se disponibiliza a suportar os custos de transferência de créditos com origem noutros bancos.

Em qualquer destes três tipos de contratos de taxa fixa, no prazo remanescente do crédito aplica-se taxa variável, com spreads desde 1%, a margem mínima exigida pelo banco.

O banco espanhol segue a aposta que outros bancos também têm feito na captação de clientes para os empréstimos da casa de taxa fixa. No caso do Bankinter a oferta atual inclui empréstimos de taxa fixa a dois, três, quatro, cinco, dez, 15, 20, 25 e 30 anos, que são indexados a taxas swaps para as maturidades correspondentes. Aquilo que está agora a fazer é fixar administrativamente pelo período da campanha as taxas de juro nos contratos de crédito de taxa fixa a dois, cinco e dez anos.

“Desta forma, o Bankinter passa a comercializar ativamente dois tipos de taxa fixa: taxa fixa swap e taxa fixa administrativa, consolidando a sua posição de referência no crédito habitação”, explica o banco em comunicado nesta quarta-feira.

Para beneficiar dessa campanha é necessário que as propostas de crédito entrem no Bankinter entre 16 de maio e 15 de julho, e cuja contratação seja concretizada até 30 de setembro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bankinter reforça aposta no crédito à habitação de taxa fixa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião