Una Seguros expande-se para Espanha e França

  • ECO Seguros
  • 23 Maio 2019

A seguradora de capitais chineses, que substituiu a francesa Groupama, vai operar no ramo vida e não vida nos mercados espanhol e francês a partir de Portugal.

A Una Seguros, a antiga seguradora francesa Groupama vai operar os ramos vida e não vida nos mercados espanhol e francês.

A entidade de supervisão portuguesa já comunicou às suas congéneres espanhola e francesa a intenção da seguradora de capitais chineses prestar, nos seus territórios, serviços relativos aos seguros de vida, seguros de incêndio e doenças, seguro de responsabilidade civil geral, de perdas pecuniárias diversas, limitada a perdas de lucros, e ainda de assistência, limitada a assistência a pessoas em dificuldades no decurso de deslocações ou ausências do domicílio ou do local de residência habitual, a partir da sua sede em Portugal.

A venda da Groupama à subsidiária nacional da China Tianying, que fez a aquisição através da Benefits and Increases, e que tem o negócio centrado no sector dos resíduos, foi tornada pública no início de fevereiro de 2018. Já no último trimestre de 2018 foi anunciado que a Groupama passou a chamar-se Una Seguros. “A Una Seguros chega ao mercado apenas nove meses depois de se ter tornado público – a 01 de fevereiro de 2018 – a operação que consistiu na alienação do negócio da Groupama em Portugal tanto no ramo vida como na área não-vida”, referiu a empresa, na altura, em comunicado. No documento, o presidente do conselho de administração da empresa, Yan Shengjun, relacionou o setor onde opera o acionista e o setor segurador afirmando que “o conceito aplicado à gestão ambiental pode ser integrado nos seguros de forma a fazer parte do quotidiano das pessoas, ajudando-as a preservar o seu estilo de vida, saúde, os seus ativos e futuro”.

A equipa que vai gerir a seguradora até 2022 continua a ser liderada por Yan Shengjun (presidente) e João Quintanilha (ex-Groupama e vice-presidente). A Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF) procedeu ainda ao registo, como vogais do Conselho de Administração da Una Seguros Vida e da Una Seguros, de Michael Lee, Nuno Ribeiro David, Pedro de Oliveira Almeida, Dong Qiao e Zijie Li.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Una Seguros expande-se para Espanha e França

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião