Hoje nas notícias: barragem do Fridão, Ryanair e aulas

  • ECO
  • 21 Agosto 2019

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

A EDP já deu início formal ao processo de arbitragem para resolver o impasse da barragem do Fridão, cuja construção foi cancelada. O ano letivo 2019/2020 vai arrancar sem o prometido reforço de 1.000 funcionários. E o dia fica ainda marcado pelo início da greve do pessoal de cabine português da Ryanair: o Governo fixou serviços mínimos e a transportadora ameaçou punir quem não cumpri-los.

EDP já notificou Estado para resolver caso Fridão

A EDP já notificou o Estado para dar início a um “procedimento de resolução amigável” do impasse criado em torno do cancelamento da construção da barragem do Fridão, no Rio Tâmega, indica a empresa no relatório e contas relativo ao primeiro semestre deste ano. O próximo passo será a nomeação de um representante de cada uma das partes para chegarem a um acordo. Não havendo um consenso, o caso seguirá para um tribunal arbitral.

Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (acesso pago).

Alemães investem 88 milhões em Azambuja

Os alemães da Aquila Capital anunciaram esta terça-feira a entrada no mercado imobiliário em Portugal com um projeto logístico na Azambuja. Fonte da sociedade de investimentos disse ao Jornal de Negócios que vai investir “cerca de 88 milhões de euros” no desenvolvimento de propriedades “verdes” numa área de 115 mil metros quadrados, que deverá arranca no início do próximo ano.

Leia a notícia completa no Jornal de Negócios.

Aulas arrancam sem reforço de mil funcionários

O ano letivo 2019/2020 vai arrancar sem o prometido reforço com mais mil funcionários. A contratação de pessoal para as escolas que foi anunciada em fevereiro só vai ficar concluída em outubro, já depois do início das aulas, que começam entre os dias 10 e 13 de setembro.

Leia a notícia completa no Jornal de Notícias (acesso pago).

Bolachas e leites achocolatados deixam de poder ser publicitados às crianças

As bolachas e os os leites achocolatados e aromatizados vão deixar de poder ser publicitados junto das crianças, passando a ser proibido a sua publicidade em escolas e parques infantis, no cinema, nas redes sociais e em programas de televisão e rádio dirigidos a menores até aos 16 anos, dentro de 60 dias. As mesmas regras vão ser aplicadas a 90% dos cereais de pequeno-almoço e 72% dos iogurtes no mercado.

Leia a notícia completa no Público (acesso pago).

Ryanair ameaça punir quem não cumprir serviços mínimos

O Governo definiu serviços mínimos durante a greve de cinco dias convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) e a Ryanair aproveitou a medida para anunciar que quem for convocado e não aparecer será alvo de “procedimentos disciplinares”. A transportadora aérea enviou uma carta ao sindicato avisando que os tripulantes de cabine chamados para cumprir os serviços mínimos devem cumprir todas as suas tarefas, incluindo “avisos, vendas, apoio ao cliente, etc”. A paralisação começa esta quarta-feira e dura até domingo.

Leia a notícia completa no Público (acesso pago).

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: barragem do Fridão, Ryanair e aulas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião