Maior coleção de carros portuguesa rendeu mais de dez milhões. Veja por quanto foi vendido cada um

A estrela do leilão da coleção de Sáragga foi um Bentley de 1931, vendido por 680.000 euros. Por outro lado, o automóvel mais barato, um Mini de 1973, foi arrebatado por 4.600 euros.

Os quase 130 automóveis da maior coleção de carros portuguesa, que pertencia a Ricardo Sáragga, já têm novos donos. O leilão, que ocorreu no passado fim de semana numa herdade entre a Comporta e Alcácer do Sal, rendeu mais de dez milhões de euros, com o automóvel mais valioso, um Bentley de 1931, a fixar-se nos 680 mil euros.

Segundos a Sotheby’s, que foi a leiloeira responsável, o valor angariado foi de 10.192.425 euros. O montante ficou, ainda assim, abaixo da avaliação da coleção, que rondava os 11 milhões de euros. Entre os desportivos e clássicos, as raridades e os icónicos, a estrela do leilão foi — como já era esperado — o Bentley 8-Litre Tourer.

O automóvel foi leiloado por 680 mil euros, mas ainda podia ter brilhado mais. O intervalo de avaliação deste modelo, do qual foram produzidas apenas 100 unidades, situava-se entre os 700 mil euros e os 800 mil euros, o que significa que o valor decidido no leilão foi, contudo, 20 mil euros inferior ao mínimo estimado.

1931 Bentley 8-Litre Tourer | Vendido por 680.00€

Este era um dos automóveis mais aguardados do leilão. Em 1930, quando o carro foi apresentado, em Londres, impressionou os jornalistas especializados da época, com o The Sphere a descrever o 8-Litre como um “dos melhores exemplos de sempre da qualidade da engenharia automóvel britânica”. Agora, esperava-se que o veículo voltasse a impressionar.

A seguir ao Bentley, quem também brilhou — e ultrapassou expectativas — foi o Porsche 911 Carrera RS 2.7 Touring, de 1973. O automóvel foi leiloado por 602.375 euros, superando mesmo o intervalo que tinha sido estabelecido (entre 450 mil e 550 mil euros).

1973 Porsche 911 Carera RS 2.7 Touring | Vendido por 602.375€

Em matéria de superar o valor de venda previsto, um dos protagonistas foi o Alpine-Renault. Inspirado nos ralis, o desejo era que o automóvel alcançasse um valor entre os 60 mil e os 80 mil euros, mas o carro acelerou até aos 195.500 euros.

O leilão contou, ainda, com um produto nacional: o Sado 550. Era um dos veículos mais baratos do leilão (5.000 euros – 10.000 euros) e foi vendido por 6.900 euros. Este automóvel, de 1983, é um dos cerca de 500 que foram produzidos em Setúbal. Uma espécie de “microcarro”, que “era perfeito para as ruas estreitas de Portugal”, lê-se no catálogo que agrega os carros leiloados.

Ainda assim, o português não foi o carro que originou o preço mais baixo do leilão. Esse título foi para o Mini 100, de 1973, vendido por 4.600 euros.

“Era uma coleção muito grande e realizamos uma venda significativa num mercado completamente novo”, diz Paul Darvill, especialista em automóveis da RM Sotheby’s, acrescentando que “muitos lotes excederam as estimativas”. O leilão contou com centenas de compradores, entre os quais estavam representados 38 países.

Veja aqui alguns dos automóveis que foram a leilão, bem como os valores de venda:

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Maior coleção de carros portuguesa rendeu mais de dez milhões. Veja por quanto foi vendido cada um

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião