Dificuldade em organizar reuniões ou ordenar a secretária? Marie Kondo quer rearrumar o seu trabalho

"Joy at work" vai ser lançado em abril de 2020 e dá dicas práticas, estratégias e conselhos para o ajudar a eliminar a desorganização no trabalho e a encontrar uma carreira que lhe dê satisfação.

Tem a secretária cheia de papéis desorganizados, vários emails por responder ou dificuldade em organizar uma reunião? Marie Kondo, especialista em organização, tem a solução perfeita para si. A japonesa prepara-se para lançar Joy at Work [Alegria no trabalho], o livro que nos ensina tudo sobre como ordenar a vida laboral, desde a secretária à agenda.

Este livro oferece histórias, estudos e estratégias para o ajudar a eliminar a desordem e criar espaço para o trabalho que realmente importa”, escreveu Marie Kondo no seu perfil de Instagram, aquando do anúncio do lançamento.

A obra, escrita em coautoria com o psicólogo organizacional Scott Sonenshein, pretende fornecer dicas práticas ao leitor para que consiga ter um espaço de trabalho arrumado e organizado, assim como, ajudá-lo a “encontrar uma carreira que lhe dê satisfação pessoal“, explicou a autora do bestseller “TheLife-ChangingMagicofTidyingUp” [A mágica da arrumação – a arte japonesa de colocar ordem na sua casa e na sua vida], à revista Forbes.

Entre as várias questões abordadas ao longo do livro, como não conseguir dar resposta aos emails que recebe, a dificuldade em organizar documentos, reuniões desnecessárias, ou “conflitos que põe a alegria no trabalho”, o psicólogo e professor da área de gestão da Universidade de Rice destaca o entusiasmo por associar a sua pesquisa “como psicólogo organizacional ao método de KonMari e dar às pessoas, técnicas, conselhos e inspiração”.

O lançamento está marcado para abril do próximo ano e, de acordo com a editora, o livro vai ajudar os leitores a superar os “desafios da bagunça no local de trabalho e aproveitar a produtividade, sucesso e alegria que advém de uma secretária e mente organizadas”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Dificuldade em organizar reuniões ou ordenar a secretária? Marie Kondo quer rearrumar o seu trabalho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião