Michael Jordan abre clínica nos EUA para pessoas sem seguro

  • ECO Seguros
  • 22 Outubro 2019

O custo dos seguros de saúde nos Estados Unidos está a deixar muitos fora do sistema. O ex-basquetebolista que é também dono do Charlotte Hornets dá uma resposta.

O antigo basquetebolista e “estrela” da NBA Michael Jordan doou sete milhões de dólares para a construção de duas clínicas médicas para pessoas sem seguro de saúde ou cujos seguros tenham poucas coberturas. A primeira abriu as suas portas na semana passada em Charlotte, na Carolina do Norte, nos EUA.

Há dois anos Jordan, que é também dono dos Charlotte Hornets, entregou o dinheiro à Novant Health para construir as clínicas. A primeira está já a funcionar e totalmente equipada para prestar apoio médico e também apoio social à comunidade onde está inserida.

Na inauguração o antigo basquetebolista afirmou que o dinheiro não era um problema para ele, mas sim o compromisso de ter capacidade para fazer a diferença e causar um impacto positivo na comunidade.

Dados divulgado no início deste mês indicam que o custo de um seguro de saúde para uma família nos EUA atingiu os 20.000 dólares anuais, o valor mais elevado de sempre e que levanta dúvidas sobre a viabilidade de um sistema de seguro baseado no empregador.

Os dados, citados pela Bloomberg, eram de um estudo da Kaiser Family Foundation, uma organização de investigação em temas de saúde e sem fins lucrativos. De acordo com a instituição desde 2009 que os prémios pagos pelas famílias aumentaram, em média, 54% e a contribuição dos trabalhadores subiu 71%, várias vezes mais do que os salários (26%) e a inflação (20%).

Estes aumentos significam que muitas famílias estão a pagar mais planos que têm menos coberturas ou custam mais ou acabam mesmo por sair do mercado dos seguros de saúde.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Michael Jordan abre clínica nos EUA para pessoas sem seguro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião