“Melhor altura para lançar a Libra foi há três anos. A segunda melhor é agora”, diz responsável pela moeda do Facebook

Kevin Weil, um dos responsáveis da subsidiária do Facebook que está a criar a moeda Libra, admitiu que a empresa perdeu a primeira onda da euforia das criptomoedas.

Kevin Weil, CPO da Calibra (Facebook), no palco central do Web Summit a 5 de novembro.David Fitzgerald/Web Summit via Sportsfile

O Facebook aproveitou o palco principal do Web Summit para justificar a decisão de criar uma moeda virtual universal, à qual chamou de Libra. Kevin Weil é vice-presidente de produto da Calibra, a subsidiária que está a desenvolver a criptomoeda. Esteve esta terça-feira na Altice Arena para garantir que o momento para lançar a divisa é “agora”… mas que só o fará quando tiver “todas as autorizações regulatórias” necessárias.

Já houve um momento melhor para lançar a Libra. O fenómeno das criptomoedas ganhou popularidade mundial no final do ano de 2017, o que levou Kevin Weil a confessar que o Facebook perdeu a primeira onda desta tendência: “A melhor altura para lançar a Libra foi há três anos. A segunda melhor altura é agora“, justificou o responsável.

Depois, o responsável da empresa do grupo Facebook também explicou o que deverá ser a moeda virtual do Facebook. A Calibra é apenas a carteira virtual da Libra que está a ser criada pelo Facebook e a ideia é que qualquer empresa interessada possa criar a sua própria carteira para a rede Libra, indicou Kevin Weil.

A empresa tenciona lançar o produto até ao final do primeiro semestre de 2020, mas tem vindo a reiterar que a Libra só vai ver a luz do dia quando todas as dúvidas das autoridades estiverem esclarecidas: “Só vamos lançar a Libra quando tivermos todas as autorizações regulatórias. Estamos comprometidos com isso”, assumiu o vice-presidente da Calibra do Facebook.

Só vamos lançar a Libra quando tivermos todas as autorizações regulatórias. Estamos comprometidos com isso.

Kevin Weil

Vice-presidente de produto da Calibra (Facebook)

Sobre as dúvidas em torno da privacidade da Libra, Kevin Weil disse que o Facebook dará uma justificação aos utilizadores sempre que lhes pedir dados pessoais e que estes terão o poder de decidir transferir os seus dados para outros fornecedor de serviços na rede da Libra. “É a vantagem da interoperabilidade deste sistema”, disse o responsável.

Kevin Weil falou ainda do processo de decisão no Facebook que levou ao lançamento da Libra. “O Mark [Zuckerberg] é incrivelmente guiado por um sentido de missão. Quando surgem oportunidades destas, ele pergunta: qual é a missão? Podemos aumentar o acesso a serviços financeiros em todo o mundo? Nós, no Facebook, estamos numa posição única para gerar impacto nesta área. É este o início da decisão. Quando o Mark se compromete, ele compromete-se”, apontou.

A Calibra é um dos elos do consórcio de mais de duas dezenas de empresas que está a trabalhar no desenvolvimento da Libraincluindo a luso-britânica Farfetch. No Web Summit, o responsável da Libra prometeu que o Facebook não vai ter o controlo da criptomoeda, mas sim todo o ecossistema de parceiros em conjunto, através de um sistema de votação.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Melhor altura para lançar a Libra foi há três anos. A segunda melhor é agora”, diz responsável pela moeda do Facebook

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião