Lisboa vai ter 200 novos bebedouros. E vai reabilitar chafarizes

  • Lusa
  • 4 Dezembro 2019

Uma parceria entre a Câmara Municipal de Lisboa e a EPAL prevê a reabilitação e manutenção de chafarizes e a instalação de 200 novos bebedouros no município.

A reabilitação de chafarizes de Lisboa, a instalação de 200 bebedouros e a abertura do jardim Casa do Arco são medidas previstas num protocolo a celebrar pela autarquia e a EPAL, segundo uma proposta que será discutida na quinta-feira.

De acordo com a proposta subscrita pelo vereador responsável pelo pelouro do Ambiente, Estrutura Verde, Clima e Energia, José Sá Fernandes (eleito nas listas do PS) e que será debatida na reunião privada do executivo municipal, o protocolo a celebrar com a EPAL – Empresa Portuguesa das Águas Livres, que é responsável pelo abastecimento de água a Lisboa, estabelece os termos de colaboração em cinco pontos, entre os quais a reabilitação de vários chafarizes da cidade.

Os primeiros chafarizes que a EPAL se compromete a reabilitar, ainda em 2019, são o chafariz das Garridas ou Benfica (na freguesia de Benfica) e o chafariz do Intendente ou Desterro (na freguesia de Santa Maria Maior).

Em 2019/2020 estão previstas intervenções de conservação e restauro nos chafarizes das Janelas Verdes (freguesia da Estrela), Mãe d’Água à Praça da Alegria (freguesia de Santo António), Rato (freguesia de Santo António), Carmo (freguesia de Santa Maria Maior) e Santo António da Convalescença (freguesia de São Domingos de Benfica).

Entre o próximo ano e 2022, a EPAL irá também realizar intervenções de conservação e restauros em mais onze chafarizes da cidade.

Segundo fica estabelecido no protocolo, após as intervenções, a Câmara de Lisboa deverá garantir a manutenção e limpeza periódica dos chafarizes, bem como do espaço público envolvente.

O documento a assinar entre a autarquia e a empresa prevê ainda o alargamento da abertura ao público das galerias subterrâneas dos aquedutos da cidade, bem como a abertura ao público do Jardim da Casa do Arco, “autorizando a criação de uma ligação aos Jardins da Fundação Maria Ulrick (Casa de Veva de Lima), de modo a possibilitar-se, além da sua utilização, o seu atravessamento”.

Até dezembro de 2021, a EPAL compromete-se também a instalar 200 bebedouros na cidade.

Na proposta apresentada pelo vereador José Sá Fernandes é recordado que Lisboa foi distinguida no ano passado com o prémio “Capital Verde Europeia 2020”.

No documento é ainda referido que, durante o próximo ano, a EPAL irá instalar painéis fotovoltaicos para “o abastecimento elétrico da rede de distribuição de água da cidade de Lisboa”.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lisboa vai ter 200 novos bebedouros. E vai reabilitar chafarizes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião