BRANDS' PESSOAS Descubra os vencedores Best Team Leaders e Best Public Leaders deste ano

  • ECO + Tema Central
  • 17 Dezembro 2019

Já são conhecidos os melhores líderes de equipa e as figuras públicas nacionais de referência que marcaram 2019, em mais uma edição dos prémios Best Team Leaders e Best Public Leaders.

João Vieira, Diretor de Recursos Humanos do Hotel Corinthia Lisboa, foi o grande vencedor dos prémios Best Team Leaders 2019, entregues na passada quinta-feira, durante um jantar de gala, no Salão Preto e Prata do Casino Estoril.

Durante a cerimónia foram também revelados os grandes vencedores dos Best Public Leaders deste ano, cuja avaliação decorreu online ao longo das últimas semanas. Nesta lista, encontram-se personalidades de peso como Marcelo Rebelo de Sousa (liderança política), Ricardo Araújo Pereira (liderança artística), Bruno Lage (liderança desportiva) e Cristina Ferreira (liderança feminina), entre outros.

Top 5 – Best Team Leaders 2019:

1º Lugar: João Vieira, Diretor de Recursos Humanos, Hotel Corinthia Lisboa
2º Lugar: Rui Barros, Managing Director, Acenture Technology
3º Lugar: Cristina Rodrigues, CEO, Capgemini Portugal
4º Lugar: Vítor Silva, Diretor de Recursos Humanos, InterContinental Lisboa
5º Lugar: Pedro Afonso, CEO, VINCI Energies Portugal

Top Competências e Características Personalidade:

O mais Íntegro: Miguel Pinto Luz, Vice-Presidente, Câmara Municipal de Cascais
O mais flexível: Alexandre Fonseca, CEO, Altice Portugal
O que melhor delega: Pedro Afonso, CEO, VINCI Energies Portugal
A mais autêntica: Paula Oliveira, Shareholder, SDO
Os mais Inspiradores: Pedro Matias, Presidente, ISQ, e Paula Oliveira, Shareholder, SDO
Os melhores a comunicar: Rui Barros, Managing Director, Acenture Technology, e Vítor Silva, DRH, InterContinental Lisboa
A que melhor otimiza os recursos: Sandra Baptista, Diretora Departamento Qualidade, Remax Portugal

Top Funções e Dimensões de equipa:

Melhor CEO empresa Multinacional: Cristina Rodrigues, CEO, Capgemini
Melhor CEO empresa de capital 100% português: Rui Miguel Nabeiro, CEO, Delta Cafés
Melhor na dimensão Equipas de 10 a 19 liderados: Magda Faria, Head of Workplace & Bussiness Flow, Axians
Melhor na dimensão Equipas com mais de 20 liderados: Idília Ramos, Diretora, Colégio Luz São Gonçalo
Melhor Chefia Intermédia: Maria Ribeiro, Chefe de Divisão, Secretaria Geral do Ministério das Finanças

Best Public Leaders 2019

Liderança Artística: Ricardo Araújo Pereira
Liderança Comunicação e Marketing: Rodrigo Guedes de Carvalho
Liderança Desportiva: Bruno Lage
Liderança Digital: Nuno Markl
Liderança Feminina: Cristina Ferreira
Liderança Jovem: João Félix
Liderança Organizacional: Rui Nabeiro
Liderança Política: Marcelo Rebelo de Sousa
Liderança Social: António Guterres

Além da entrega de prémios, destaque para a talk da jornalista Judite Sousa, que esteve em palco para falar sobre “Intuição e Decisão – As duas faces da Liderança”. E ainda para a entrevista com a atleta profissional de Muay Thai e Kickboxing, Dina Pedro, a “mulher dinamite forma campeões”. Pode ver a reportagem fotográfica do evento aqui.

O estudo Best Team Leaders, que obteve recentemente a certificação académica pela Nova IMS, começou a fazer as primeiras avaliações em 2012, permitindo o reconhecimento e a premiação dos líderes que com sucesso dirigem as suas equipas. O foco deste estudo são as equipas do líder, só estas são chamadas a avaliar, isto porque foi considerado que uma avaliação feita pelo superior hierárquico do líder e pelos seus pares não tem o caráter de imparcialidade necessária para a obtenção de resultados fiáveis. Os pares estão no plano de competição, o superior hierárquico está numa relação de subordinação. Só a equipa liderada pode estar num plano de colaboração, ou seja, “no mesmo barco”.

“Muitas vezes, basta-nos olhar para uma equipa de pessoas para perceber que tipo de liderança esta tem. Elas são o espelho do líder, no mau e no bom sentido”, refere a organização da iniciativa.

Este ano, o estudo Best Team Leaders teve, além da sua avaliação habitual junto das lideranças organizacionais, uma versão para avaliação de figuras públicas, líderes de referência nas suas áreas de atividade: os Best Public Leaders. A referida metodologia foi adaptada e simplificada tendo em conta as particularidades desta avaliação de figuras públicas e todas as pessoas puderam avaliar.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Descubra os vencedores Best Team Leaders e Best Public Leaders deste ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião