N Seguros já está incorporada na Lusitania

  • ECO Seguros
  • 15 Janeiro 2020

Um comunicado aos clientes e a confirmação pela ASF oficializam a solução encontrada para enfrentar o risco de incumprimento do nível de solvência da seguradora automóvel online.

A autorização da fusão por incorporação da N Seguros na Lusitania – Companhia de Seguros foi concedida pela ASF – Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões. Simultaneamente o regulador divulgou a sua não oposição à aquisição, pela Lusitania de uma participação qualificada, direta, correspondente a 100% das ações representativas do capital social e dos direitos de voto da N Seguros.

A N Seguros, em comunicado enviado aos clientes, também participou a operação, referindo que se tratou de um processo de fusão, com efeitos a 31 de dezembro de 2019, salientando que para o cliente N Seguros “nada muda” quanto a condições contratuais, nem quanto a meios e formas de contacto.

Assinado pelos administradores Paulo Martins da Silva e Paulo Raimundo, o comunicado refere que a “Lusitania Seguros complementa-se, agora, com a marca N Seguros, que detém uma enorme experiência no negócio online e direto, resultando em múltiplas sinergias e ganhos de eficiência”, acrescentando que deste modo a seguradora “ganhará ainda mais força e sustentabilidade, beneficiando de uma maior eficiência na utilização dos fundos próprios”.

O grupo Montepio resolve desta forma “A evolução desfavorável da situação financeira da N Seguros nos últimos anos e, em particular, a recente degradação do seu resultado técnico e a necessidade de reforço do provisionamento, colocaram a N Seguros em risco efetivo de incumprimento do nível de solvência no final do exercício de 2019“, conforme divulgado em dezembro do ano findo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

N Seguros já está incorporada na Lusitania

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião