Juiz pede escusa do processo dos emails por ser benfiquista

  • ECO
  • 19 Janeiro 2020

Magistrado alega que o seu clubismo pode levantar suspeitas quanto à sua imparcialidade.

O juiz desembargador Eduardo Pires, do Tribunal da Relação do Porto, pediu escusa do processo do caso dos emails do Benfica por ser um fervoroso adepto do clube, avança o Público (acesso condicionado) neste domingo.

Segundo aquele jornal, o magistrado dirigiu o pedido ao presidente da Relação do Porto, Ataíde Neves, a 14 de janeiro, onde explica que depois da sentença de primeira instância, a 6 de junho de 2019, foram apresentados recursos tanto pelo Benfica como pelo Porto e que o processo lhe foi distribuído (o sorteio teve lugar a 19 de Dezembro de 2019).

Em causa está o processo em que o Futebol Clube do Porto, Porto SAD, Porto Canal e Francisco J. Marques, diretor de comunicação dos portistas, foram condenados a pagar cerca de dois milhões de euros pela divulgação da correspondência eletrónica do Benfica num programa do Porto Canal.

Tendo isso em conta, adianta no pedido de escusa que é sócio do Sport Lisboa e Benfica desde 1968, titular do red pass das “águias”, tem “lugar cativo no Estádio da Luz”, e que lhe foi atribuída uma “Águia de Ouro” a 9 de março de 2019, pelos 50 anos de sócio. Nesse sentido considera que o facto de ser adepto, como descreve, pode levantar dúvidas sobre a sua imparcialidade. É por isso que pede a escusa.

“Pese embora a imparcialidade que sempre regeu o seu exercício profissional e que também o nortearia neste caso é, em consonância com tudo o que se tem vindo a referir, um apaixonado adepto do Sport Lisboa Benfica, o que pode, ponderosamente, levar a que se possa suspeitar dessa sua imparcialidade”, escreve o juiz desembargador.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Juiz pede escusa do processo dos emails por ser benfiquista

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião