Gamalife vai manter os 60 colaboradores para fazer crescer negócio.

  • ECO Seguros
  • 10 Março 2020

Confirmada a marca Gamalife para nova designação da GNB Vida, a companhia quer crescer em Portugal e no sul da Europa. Reafirmado acordo com NB para exclusivo de distribuição e gestão de ativos.

GamaLife – Companhia de Seguros de Vida, S.A. é oficialmente a nova designação da GNB Vida depois de hoje aprovada pela CMVM. Vai focar atividade no ramo vida e resulta da aquisição da GNB Seguros Vida ao Novo Banco, concluída em outubro do ano passado.

Segundo informações a que ECOseguros teve acesso, a atual equipa de cerca de 60 pessoas do ex-GNB Vida vai manter-se já que a intenção do grupo APAX é expandir o negócio. Essa expansão pode passar por aquisições em Portugal quer de seguradoras existentes, quer de filiais de multinacionais estrangeiras, na lógica da procura de escala para rentabilizar o negócio. A Gamalife quer detetar concorrentes em situação de “double or quit” (dobrar dimensão ou sair do mercado), sendo que está firme em ser a que fica. Também a expansão europeia está no radar da Gamalife sendo países da região sul da Europa os mais prováveis destinos de crescimento.

O acordo de distribuição exclusiva através do Novo Banco, através das suas 401 agências, será reafirmado com um contrato de longo prazo, apenas abrindo a porta à possibilidade de novo canal para vendas digitais. Também vai manter-se a gestão de ativos da Gamalife pelo NB.

Ao nível de produtos o enfoque está em manter uma gama vida completa: Investimento, proteção e reforma. No entanto, poderão existir novidades com produtos mistos se aprovados pelo regulador ASF.

Matteo Castelvetri é o italiano CEO da Gamalife e já vive quatro dias por semana em Portugal, depois muitos anos em Londres, primeiro na Goldman Sachs, a seguir na Morgan Stanley, onde foi máximo responsável pela área dos seguros durante nove anos e até 2017. Na administração da Gamalife estão quadros da APAX e, no futuro, o nível mais alto da hierarquia poderá integrar portugueses que para estão e ficarão em todos os lugares de direção de primeiro nível.

“A nova identidade da empresa e a adoção universal da marca GamaLife cimenta o nosso compromisso para com os nossos clientes, o Novo Banco como nosso principal parceiro comercial e o mercado português como um todo. Esperamos acelerar a nossa oferta de novos produtos aos nossos clientes ao longo dos próximos meses“, afirma Matteo Castelvetri, CEO do grupo GamaLife.

Segundo comunicado da empresa, a GamaLife “nasceu com o objetivo de transformar as companhias de seguros de vida tradicionais através de uma nova abordagem, onde a inovação tecnológica e o foco na transparência e no serviço assumem um papel primordial”.

A estratégia de negócio da GamaLife vai estar focada em negócios com alto potencial de retorno, usufruindo da capacidade de beneficiar das melhores práticas internacionais, afirma a companhia.

Apoiada por fundos assessorados pela Apax Partners, a GamaLife “encara a aquisição da GNB Seguros Vida como o início de um plano mais amplo de consolidação no mercado de seguros de vida, estratégia essa que parte com o objetivo de se tornar um verdadeiro líder no mercado segurador português”, acrescenta o comunicado.

A GamaLife é uma plataforma pan-europeia de gestão de seguros vida e de fortunas fundada em 2019 e focada em tecnologia e sustentabilidade. A GNB Seguros Vida, que é regulada pela Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões, detinha um ativo total de 5,1 mil milhões de euros e um capital próprio total de 391 milhões de euros em junho de 2019.

(Notícia atualizada às 17h)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Gamalife vai manter os 60 colaboradores para fazer crescer negócio.

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião