Governo cria grupo para avaliar situação nos supermercados por causa do vírus

O grupo criado pelo Governo vai avaliar o abastecimento nos setores agroalimentar e do retalho, bem como eventuais situações de perturbação no provimento regular.

O grupo criado para acompanhar e avaliar a evolução da cadeia de abastecimento nos setores agroalimentar e do retalho durante o surto do novo coronavírus, classificado como pandemia pela Organização Mundial de Saúde, vai reunir esta quinta-feira pela primeira vez, no Ministério da Economia.

Entre os objetivos do grupo está a “antecipação de eventuais situações de perturbação no provimento regular ou comportamentos individuais desproporcionais face às necessidades efetivas dos cidadãos”, lê-se numa nota de agenda enviada pelo Gabinete do Ministro de Estado, da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira.

Consoante o evoluir da situação, o grupo criado pelo Governo poderá “delinear, se necessário, medidas preventivas ou corretivas destinadas a manter ou restabelecer as normais condições de abastecimento”. Esta terça-feira já se reportava um “ligeiro aumento da procura de produtos” nos super e hipermercados, mas o funcionamento decorria “com total normalidade”, de acordo com a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição.

Da parte dos agricultores, a Confederação dos Agricultores de Portugal já veio assegurar que não haverá “seguramente” uma rutura na cadeia de abastecimento de produtos alimentares. Na reunião desta quinta-feira vão estar presentes o secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres, e o secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Nuno Russo.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo cria grupo para avaliar situação nos supermercados por causa do vírus

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião