Economia chinesa recupera do vírus. Já está a operar a 75% da sua capacidade

Apesar de o impacto ter sido expressivo, a China está a recuperar a um ritmo acelerado do vírus. Já está a operar a 75% da sua capacidade, mas falta ainda a retoma da confiança dos consumidores.

Um mês após a implementação das medidas de contenção face à pandemia, a China parece estar a conseguir “matar” o vírus. E a vida começa a voltar ao normal. Prova disso é que a economia chinesa já está a operar a 75% da sua capacidade, deixando antever um retorno gradual aos valores normais de produção até ao final de abril, estima a Euler Hermes, líder mundial em seguros de créditos e acionista da COSEC.

Apesar de a China já estar a operar a mais de metade da sua capacidade, “a performance económica deste país asiático será condicionada por uma demora na recuperação da confiança dos consumidores, uma vez que os volumes de transações imobiliárias permanecem ainda 70% abaixo dos níveis normais”, explica a Euler Hermes, em comunicado.

Segundo esta análise, só no primeiro trimestre do ano, as medidas de contenção tomadas por Pequim tiveram um impacto no PIB de pelo menos três pontos percentuais. Nos dois primeiros meses de 2020, o crescimento do comércio chinês foi o mais baixo desde 2016, com as exportações a caírem 17,2% e as importações a cederem 4,0%.

Todavia, mesmo com o impacto que o Covid-19 está a provocar a nível mundial, a mesma análise destaca que este cenário “fica bastante abaixo do provocado pela crise de 2009, quando, no espaço de apenas um mês, as exportações desaceleraram -26.5% e as importações -43.1%”.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Economia chinesa recupera do vírus. Já está a operar a 75% da sua capacidade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião