Science4You produz óculos e gel na fábrica de brinquedos

Empresa portuguesa está a produzir material de proteção individual para responder às necessidades de mercado decorrentes da pandemia de Covid-19.

A Science4You, que produz e vende brinquedos, está a usar a sua fábrica para produzir material de proteção individual como óculos protetores, numa resposta às necessidades de mercado decorrentes da pandemia de coronavírus.

A companhia está a usar, tanto as equipas como os materiais, normalmente dedicados à produção de experiências para crianças, para produzir estes produtos. Até ao momento, informa a empresa em comunicado, a Science4you já conseguiu fornecer mais de 300 mil óculos de proteção, estando neste momento a produzir 15 mil unidades por dia.

"Trata-se de uma transformação em tempo recorde de toda a linha de produção que irá garantir no imediato não só a manutenção de postos de trabalho, como ultrapassar necessidades de importação deste material, parte do qual é oriundo da China.”

Miguel Pina Martins

CEO da Science4You

Nos próximos tempos, a equipa vai também terminar a adaptação das instalações para passar a produzir gel desinfetante, que deverá chegar ao mercado em poucos dias.

“Convertemos uma parte significativa dos nossos recursos internos — engenheiros, cientistas, business developers — para se dedicarem a dar resposta à escassez de material”, explica Miguel Pina Martins, CEO da Science4You, citado em comunicado. “Trata-se de uma transformação em tempo recorde de toda a linha de produção que irá garantir no imediato não só a manutenção de postos de trabalho, como ultrapassar necessidades de importação deste material, parte do qual é oriundo da China.”

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Science4You produz óculos e gel na fábrica de brinquedos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião