Coopérnico lança tarifário especial #FiqueEmCasa e reduz 10 euros por mês na fatura dos clientes

Cooperativa de energias renováveis quer partilhar com os seus clientes as poupanças que está a obter no mercado grossista de energia, onde os preços sofreram uma baixa no valor.

É a primeira e única cooperativa portuguesa de energias renováveis e este ano estreou-se como comercializar no mercado livre de eletricidade. Agora, muito pouco tempo depois de ter começado a vender energia elétrica para um mercado potencial de mais de cinco milhões de consumidores, e à luz do atual cenário de crise económica causado pela pandemia de Covid-19, a Coopérnico decidiu baixar as suas tarifas de eletricidade para famílias e empresas.

“Numa altura de contenção para famílias e empresas, a Coopérnico pretende apoiar os membros e clientes com uma redução de tarifário que também se aplica aos novos clientes. Com a redução dos preços, vai também partilhar com os seus clientes as poupanças que está a obter no mercado grossista de energia, onde os preços sofreram uma baixa no valor. De acordo com o simulador da ERSE para a eletricidade, o tarifário #FiqueEmCasa está já entre os mais baratos do mercado e será revisto no final de junho”, explicou a elétrica em comunicado. A cooperativa conta com mais de 1550 membros e o novo tarifário promocional estará em vigor entre 1 de abril e 30 de junho de 2020.

E se até agora, com a Coopérnico, os consumidores domésticos com uma potência contratada de 3,45 kVA, tarifa simples, pagavam pela eletricidade consumida 0,1499€ por kWh, nos próximos três meses a cooperativa baixou os preços da energia para 0,1299€ por kWh, o que equivale a uma diferença de dois cêntimos. A poupança pode parecer pouca, mas com esta redução a Coopérnico saltou automaticamente para o segundo lugar das ofertas mais baratas do mercado (a seguir à comercializadora Ylce, da Enforcesco) , no simulador da Entidade Reguladora dos serviços Energéticos (ERSE), tanto na contagem simples como bi-horária, para um casal com dois filhos.

Com o tarifário #FiqueEmCasa a fatura mensal para este consumidor-tipo definido pela ERSE situa-se nos 81,70 euros (tarifa simples) e os 82,21 euros (tarifa bi-horária). Quanto ao tarifário “normal” da Coopérnico, custa por mês, para a mesma família de quatro pessoas, 89,90 euros (no bi-horário) e 91,95 euros (simples). Ou seja, a poupança neste tempo de quarentena pode ascender a mais de 10 euros na fatura mensal com a tarifa simples e a cerca de sete euros com a tarifa bi-horária.

Para Miguel Almeida, membro da direção da Copérnico e responsável pela unidade de negócio da comercialização, “embora a cooperativa ainda seja jovem no mercado de comercialização está em condições de fazer um corte tarifário ajustado ao momento que vivemos. Achamos que neste momento deveríamos dar o exemplo e apoiar famílias e empresas perante os desafios que vivemos como sociedade. Esta redução de preços está enquadrada na estratégia central que faz parte da génese da Coopérnico – conseguir sempre um preço mais justo para os seus membros e clientes”.

Para o presidente da direção da Coopérnico, “o objetivo não é ser o concorrente mais barato, mas sim o mais justo e transparente. O facto de se tratar de uma cooperativa sem fins lucrativos é desde logo um grande diferenciador. Claro que nos permite também ambicionar ter uma oferta mais competitiva“, explica. Nuno Brito Jorge sublinha ainda que “os lucros serão sempre reinvestidos na Cooperativa para alimentar novos projetos de energia renovável e promover o acesso à mesma”.

A cooperativa tem 32 centrais espalhados por todo o país, com uma potência instalada de 1,3 megawatts (MW) e já produz energia verde suficiente para abastecer cerca de 1000 famílias portuguesas. Fundada em 2013, a Coopérnico foi a primeira cooperativa portuguesa de energias renováveis. Hoje, sete anos depois, continua a ser caso único no país e conta com mais de 1550 membros, 937 contratos e mais de 1,6 milhões de euros de investimento direto dos cidadãos em projetos de produção de energia renovável.

Até ao final do ano a Coopérnico espera: duplicar a carteira e chegar aos 2000 clientes; que cada membro tenha pelo menos um contrato; e atingir 2,4 milhões de euros, quase multiplicando por dois o investimento em renováveis.

Como beneficiar do tarifário #FiqueEmCasa

Para fazer parte da carteira de clientes da Coopérnico, é necessário ser membro da cooperativa ou amigo de um membro, de forma a poder contribuir ativamente para este modelo de sustentabilidade. Para ser membro é necessário adquirir três títulos de capital social, no valor total de 60 euros (20 euros cada um). Com a adesão, cada membro da cooperativa pode oferecer o tarifário da Coopérnico a três amigos ou familiares.

Na lista de membros constam nomes conhecidos como Jorge Vasconcelos, antigo presidente da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, Júlia Seixas, professora na área do Ambiente, entre outros. Além de consumirem energia limpa, os membros/clientes podem ainda investir as suas poupanças na produção de energias renováveis, protegendo o ambiente e apoiando projetos de solidariedade social.

Quanto a projetos para um futuro próximo, Nuno Brito Jorge adiantou ao Capital Verde, do ECO, que a Coopérnico pretende expandir a área de negócio em Portugal e apostar “em investimentos maiores seja na área solar ou centrais já existentes noutras fontes renováveis”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Coopérnico lança tarifário especial #FiqueEmCasa e reduz 10 euros por mês na fatura dos clientes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião