Governo vai comprar 15 milhões em publicidade para apoiar media

A publicidade institucional será orientada, nomeadamente, para campanhas de saúde pública. Da verba global, 25% será destinada à imprensa local e regional.

O Governo vai avançar com a aquisição antecipada de espaço para publicidade institucional na televisão, rádio e imprensa nacional, regional e local, no valor de 15 milhões de euros. Esta é uma medida de apoio à comunicação social durante a crise decorrente da pandemia.

A publicidade institucional será “orientada para campanhas da Direção-Geral de Saúde e outras instituições de saúde pública, para causas sociais e humanitárias, como a violência doméstica e campanhas para retoma das atividades económicas e sociais”, disse a ministra da Cultura, Graça Fonseca, em conferência de imprensa transmitida pela RTP3.

A ministra da Cultura explica que 75% desta verba será para órgãos de comunicação social nacional — RTP e Lusa não serão abrangidas. E da verba global, 25% será destinada à imprensa local e regional. Os critérios para a distribuição, que estão já definidos na lei, “têm a ver com a circulação, a abrangência de cada órgão, representatividade territorial”, adianta a ministra.

O valor que será aplicado nestas campanhas é “três vezes superior ao que estava previsto” no Orçamento do Estado, refere Graça Fonseca. Na próxima semana o Governo vai começar a “trabalhar detalhadamente na metodologia e distribuição dos espaços publicitários e verbas”, sendo que a expectativa é que seja possível concretizar a compra em abril.

(Notícia atualizada às 16h20)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo vai comprar 15 milhões em publicidade para apoiar media

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião