Santander doa 100 milhões de euros para combater Covid-19. Só em Portugal foram 2,7 milhões

O banco liderado por Ana Botín disponibilizou 100 milhões euros, para apoiar iniciativas solidárias em todo o mundo para combater o coronavírus. Só em Portugal, o banco espanhol doou 2,7 milhões.

O Santander doou 100 milhões de euros, em todo o mundo, para apoiar iniciativas de combate à epidemia de Covid-19. Só em Portugal, foram doados cerca de 2,7 milhões de euros para a compra de ventiladores, material médico e de máscaras de proteção, bem como, outras iniciativas ligadas ao Banco Alimentar e à Cruz Vermelha Portuguesa.

“O Santander anunciou a criação de um fundo solidário com um valor mínimo de 25 milhões de euros, financiado inicialmente com 50% da retribuição (fixa e variável) deste ano de Ana Botín, presidente do Santander, e de José Antonio Álvarez, administrador delegado do Santander, que decidiram ceder ao fundo; 20% da remuneração dos administradores não executivos e as contribuições voluntárias dos colaboradores do Grupo”, informa o Santander em comunicado.

Nesse sentido, o banco liderado por Ana Botín explica que “o valor do fundo aumentou para 54 milhões de euros após novas contribuições dos países por doações voluntárias dos colaboradores e de terceiros, assim como dos fundos alocados diretamente pelas filiais do Grupo”.

Além disso, o banco espanhol disponibilizou 46 milhões, ao redirecionar “determinados projetos para iniciativas dedicadas à luta contra o coronavírus”, bem como, “dos grupos mais vulneráveis e dos países mais afetados”, sublinha o Santander na nota de imprensa. Assim, dois terços destes 46 milhões estão a ser alocados a projetos desenvolvidos pelas universidades e centros de investigação de vários países, por forma a apoiar a investigação a nível do desenvolvimento de vacinas, medicamentos e diagnóstico da infeção por Covid-19.

Destes 100 milhões doados pelo Santander, 2,7 milhões foram para iniciativas solidárias em Portugal, nomeadamente para a compra de ventiladores, material hospitalar e de proteção, bem como, para campanhas ligadas “ao Banco Alimentar à Cruz Vermelha e outras associações que estão no terreno”, explica o banco. Além disso, em território nacional, o banco espanhol apoiou Universidades e Politécnicos, através de apoios financeiros e tecnológicos destinados aos “estudantes em situação económica mais vulnerável” e projetos de investigação ligados à saúde.

Ao mesmo tempo, o Santander Consumer Finance, entidade do Santander responsável pelo crédito ao consumo, doou 380 euros mil euros em diferentes países da Europa e China, assim como 250 rádios e 1.500 equipamentos de proteção em vários hospitais espanhóis e polacos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Santander doa 100 milhões de euros para combater Covid-19. Só em Portugal foram 2,7 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião