Casos de Covid-19 sobem 2,2%. Portugal regista 989 mortes

As autoridades de saúde identificaram 540 novos casos de infeção pelo novo coronavírus no país, que contabiliza 25.045 casos. Morreram 16 pessoas devido ao Covid-19 no último dia.

Portugal registou 540 novos casos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas. É uma subida de 2,2% face ao dia anterior, com o total de pessoas infetadas a subir para 25.045. Também subiu o número de mortes: morreram mais 16 devido ao Covid-19 para um total de 989, de acordo com o último balanço oficial da Direção-Geral de Saúde (DGS).

É esta a evolução da pandemia do vírus em Portugal, quando o país se prepara para um fim de semana de mais restrições (semelhantes às que viveu na Páscoa), antes de uma nova fase de desconfinamento gradual durante o mês de maio.

“Todos os dias há novos casos, mas a tendência da epidemia é decrescente. Estamos a descer a rampa”, disse Graças Freitas, diretora da DGS, em conferência de imprensa, sobre a fase de reabertura de economia que o Governo se prepara para anunciar. “O desconfinamento não nos isenta de continuar a manter as medidas de controlo e prevenção”, avisou.

Graças Freitas esclareceu ainda que o indicador R (número de reprodução do vírus) não é “milagroso” e que as autoridades estão a olhar para outras variáveis para medir o risco de infeção no país. E revelou que o Governo se prepara para lançar uma campanha para explicar como devem ser usadas as máscaras, que vão ser obrigatórias para quem quiser entrar nas lojas ou usar os transportes públicos.

Norte no topo, menos internamentos e mais recuperados

O Norte, que tem sido a região mais castigada desde o início da crise de saúde pública, contabiliza 15.090 casos confirmado e 566 mortes, cerca de 60% dos números verificados para todo o país. Segue-se a região de Lisboa e do Centro.

Os internamentos mantiveram-se em queda: há agora 968 pessoas internadas, menos 12 do que no dia anterior. Destes, 172 são casos mais graves que dizem respeito a doentes que estão em unidade de cuidados intensivos, mais três do que no dia anterior.

E, de acordo com os números da situação epidemiológica em Portugal, as boas notícias continuam a vir do número de recuperados, que aumentou em 49 para 1.519 recuperações.

Boletim epidemiológico de 30 de abril de 2020.DGS

(Notícia em atualização)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Casos de Covid-19 sobem 2,2%. Portugal regista 989 mortes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião