Avaliação das casas atinge novo máximo. Está nos 1.114 euros

Valor mediano a que os bancos estão a avaliar os imóveis para efeitos de concessão de crédito subiu três euros em maio. Número de avaliações caiu 21% face ao mesmo período do ano passado.

O valor que os bancos atribuem às casas para efeitos de concessão de crédito subiu em maio, atingindo um novo máximo. De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), o valor do metro quadrado situou-se nos 1.114 euros, em termos medianos, mais três euros que em abril. Número de avaliações, contudo, caiu 21% face ao mesmo mês do ano passado.

“O valor mediano de avaliação bancária foi 1.114 euros em maio, mais três euros que o observado no mês precedente. Este valor representa uma subida de 0,3% relativamente a abril e um aumento de 8,9% face ao mesmo mês do ano anterior“, dá conta o gabinete público de estatísticas, nesta segunda-feira.

A avaliação das casas para efeitos de concessão de crédito, dá assim seguimento ao rumo ascendente apesar dos efeitos da pandemia. O registo de maio é o mais elevado do histórico do INE que se inicia em janeiro de 2011.

Avaliação das casas volta a subir

Fonte: INE

Se a pandemia não parece estar a travar o valor atribuído pelos bancos para efeitos de concessão de crédito, o mesmo já não acontece com o número de imóveis sujeitos a essa avaliação.

O gabinete de estatísticas adianta que “dadas as circunstâncias excecionais, o número de avaliações bancárias consideradas ascendeu a cerca de 19 mil, menos 21% que no mesmo período do mês do ano anterior“. Já em abril se tinha verificado uma redução nesse número, mas muito mais baixa: 2%.

Algarve supera pela primeira vez 1.500/m2. Volta a liderar avaliações

Todas as regiões do país viram as respetivas avaliações dos imóveis subir, em termos homólogos, sendo que em termos mensais, a Região Autónoma da Madeira foi a única a contrariar essa tendência.

O Algarve voltou a destronar a Área Metropolitana de Lisboa no topo das avaliações, passando a ter o valor do metro quadrado mais elevado do país. Tendo em conta o histórico do INE, região mais a sul do país superou mesmo pela primeira vez a barreira dos 1.500 euros. O valor do metro quadrado no Algarve, passou dos 1.482 em abril para os 1.512 euros em maio.

Já na Área Metropolitana de Lisboa, a avaliação mediana dos imóveis fixou-se em maio nos 1.485 euros por metro quadrado, mais dois euros face a abril e um novo máximo do histórico.

No caso da região Norte a avaliação das casas teve uma subida mensal de nove euros, fixando-se em maio nos 972 euros. No centro, a subida foi de 16 euros para os 847 euros, enquanto no Alentejo foi registado um acréscimo de 25 euros, para os 827 euros por metro quadrado.

No caso das regiões autónomas da Madeira e dos Açores, o movimento mensal foi contrário. Enquanto nos Açores, o valor do metro quadrado subiu 12 euros, para os 949 euros, na Madeira ocorreu uma quebra. Esta foi de seis euros, com o valor do metro quadrado a fixar-se nos 1.141 euros, em maio.

(Notícia atualizada às 11h45)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Avaliação das casas atinge novo máximo. Está nos 1.114 euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião